sábado, 22 de setembro de 2012

BUROCRATAS, SAÚDE PÚBLICA, SAÚDE DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA BLÁ BLÁ BLÁ ...


A REOUVIR DO HOSPITAL DAS CLÍNICAS DE SÃO PAULO, QUE ATENDE PACIENTES DO SUS NA SAÚDE AUDITIVA RESOLVEU QUE TODO SURDO É INCAPAZ, PRECISA DE BABÁ, OU MELHOR DE ACOMPANHANTE E NEGA ATENDIMENTO A QUEM NÃO LEVAR O SEU PERSONAL SPEAKER...OU SEU DUBLÊ DE VOZ.

É LEGAL ISSO???

ESTA TROCA DE MENSAGENS SERIA CÔMICA SE NÃO FOSSE SÉRIA

DESCULPEM OS ERROS DE DIGITAÇÃO...FOI ESCRITO COM MUITA BRONCA!

De: so [mailto:sramiresdealmeida@yahoo.com.br] 
Enviada em: quinta-feira, 20 de setembro de 2012 15:24
Para: ouvidoria@saude.sp.gov.br; ouvidoria.sedpcd@sp.gov.br
Cc: ouvidoria@pessoacomdeficiencia.sp.gov.br; ouvidoriaichc@hcnet.usp.br; comissaosulp@yahoogrupos.com.br; acessibilidade@yahoogrupos.com.br


Assunto: PROGRAMA REOUVIR HOSPITAL DAS CLÍNICAS SP


Hoje, dia 20/09/2012 estive no Reouvir e perguntei ao Dr. Sérgio Garbi Matr. 14.699/5 Ambulatório ORL CRM 19.212 o que justifica a exigência de ACOMPANHANTE COM CPF PARA TODO E QUALQUER PACIENTE DO REOUVIR EM TODA E QUALQUER CONSULTA.

A resposta do Dr. Sérgio Garbi foi que isso era exigência da portaria nº 719 de 28/12/2007  e imposição da Secretaria da Saúde da qual depende o Reouvir. Tal portaria foi lida por mim e não encontrei nenhuma exigência de acompanhante para consultas. Me mostrou um trecho onde fala do preenchimento de campos do formulário onde deve ser informado nome da mãe ou responsável...
Tenho marcada consulta no HOSPITAL DAS CLÍNICAS NO DIA 03/10/2012 ÀS 13 HORAS
E PEDEM OS DOCUMENTOS CPF - RG - COMPROVANTE DE ENDEREÇO E CARTÃO SUS
E EM SEGUIDA ACRESCENTAM ACOMPANHANTE COM CPF - O ACOMPANHANTE SEMPRE O MESMO E QUE TENHA CONDIÇÕES DE AJUDAR O PACIENTE ( DE PREFERÊNCIA QUE RESIDA JUNTO ...ETC...
Eu sou uma pessoa lúcida, alfabetizada, sem outros problemas de saúde que me impeçam de entender o que me é dito numa consulta médica ou num exame.
Pedir acompanhante para pessoa incapacitada de entender é uma coisa, mas exigir que todo e qualquer deficiente auditivo leve acompanhante é um desrespeito à autonomia do paciente.
Sou deficiente auditiva desde os 20 anos de idade, sempre usei aparelhos auditivos, entendo perfeitamente a língua portuguesa falada e escrita.
DESEJO  uma orientação clara e objetiva porque temo não ser atendida na minha consulta de 03/10/2012 devido a não levar acompanhante por ser uma exigência descabida para mim. 
Antes de chegar ao Reouvir do HC passei por fonoaudióloga no Posto de Saúde do meu bairro, passei no otorrino e fiz audiometria tudo sem nenhum acompanhante.
Por favor necessito orientação urgente porque vários pacientes da Reouvir retornam aos postos de origem sem atendimento por não terem acompanhantes.
Onde neste texto aponta para a obrigatoriedade de acompanhantes?

RESPOSTA ABSURDA DO FUNCIONÁRIO DA SAUDE DO GOVERNO DE SÃO PAULO:

De: "drs1-dguarieiro@saude.sp.gov.br"
Para: sramiresdealmeida@yahoo.com.br; Sandra-Regulação/DRS I  
Enviadas: Sexta-feira, 21 de Setembro de 2012 17:53
Assunto: Fwd: ENC: PROGRAMA REOUVIR HOSPITSAL DAS CLÍNICAS


São Paulo, 20 de Setembro de 2012.
Cara Senhora,
A Ouvidoria do Município de São Paulo me repassou as informações de seu caso.
As instituições que trabalham com Saúde Auditiva, normalmente pedem que todo paciente, menor ou adulto, venha acompanhado, pois, em alguns casos,  este pode apresentar dificuldade em entender  e/ou acompanhar o tratamento e posterior fornecimento do equipamento  necessário; não só por questão relativa a temperamento/comportamento, mas às vezes, dependendo do caso, por necessitar de vários retornos, exames e outros procedimentos, antes de se saber qual tipo de alternativa se irá utilizar.
Pacientes com acompanhante também abandonam os retornos para avaliações após o recebimento do aparelho, mesmo com as orientações específicas para acompanhamento periódico e/ou anual, tendo na figura do acompanhante uma maior garantia de permanência, bem como de melhor entendimento do que está sendo feito na terapia.
Temos vários casos de pacientes solicitando reinclusão no Ambulatório pois não retornaram para acompanhamento periódico após receberem o aparelho e após anos de ausência querem retornar,  pois o aparelho recebido apresenta desgaste ou já se encontra inadequado, caracterizando abandono do tratamento.
Hoje em dia até o Conselho Regional de Medicina aconselha que o paciente vá em consulta médica com acompanhante, sendo até um direito constitucional.....

(AQUI O FUNCIONÁRIO CONFUNDE DIREITO DO PACIENTE COM DEVER DO PACIENTE..EVIDENCIANDO MÁ FÉ PARA ME PERSUADIR...)
.
No caso da Senhora, não tem um parente, sobrinho, sobrinha,afilhado(a) ou amiga(o) que possa acompanhá-la ao Ambulatório Reouvir?  
Atenciosamente,
Dorival S. Guarieiro 
Área Técnica Saúde da Pessoa Com Deficiência/Núcleo de Regulação
Centro de Planejamento e Avaliação
DRS I - Grande São Paulo
Tel 3017-2000 r.2007(período da Tarde)-------- Original Message --------
Subject:ENC: PROGRAMA REOUVIR HOSPITSAL DAS CLÍNICAS
Date:Fri, 21 Sep 2012 11:58:46 -0300
From:"Ouvidoria/GS"
To:
Reply-To:

LEIAM MINHA RESPOSTA, PASSADO O ÓDIO INICIAL ACHEI QUE A IRONIA ERA A MELHOR MANEIRA DE RESPONDER A TAIS ARGUMENTOS PRECONCEITUOSOS...LEIAM, OPINEM E RESPONDAM TAMBÉM AO SR DORIVAL QUE DEVE REFLETIR A MENTALIDADE DE MUITOS....

Sr. DORIVAL,

Li e reli sua resposta e acharia risível se não fosse um assunto tão sério, que afeta a dignidade da pessoa com deficiência auditiva, palavras descabidas vindas justamente de pessoa da área de saúde do governo do Estado de São Paulo. Pessoa que suponho seja  paga para  zelar pela atenção à saúde das pessoas com deficiência. 
Fica evidente seu desconhecimento da diversidade na deficiência auditiva. E por infeliz coincidência me responde com mensagen cheia de preconceito justo no dia de luta da pessoa com deficiência...pelo jeito teremos que lutar muito ainda para ter pessoas mais informadas nos órgãos destinados à preservação de nossos direitos.

ATENÇÃO À SAÚDE PELO SUS É UM DIREITO do cidadão. Não é favor nem caridade. Lembro ao senhor que pagamos impostos municipais, estaduais e federais.
DIREITO A ACOMPANHANTE EXISTE SIM quando é necessário à segurança do paciente, durante exames que impliquem em tomada de contrastes, anestesias., nas internações.

O senhor usa argumentos fora de contexto e em vez de mensagem de OUVIDORIA recebo uma resposta de uma REPETIDORIA de argumentos viciados. Argumentos de médicos acomodados que não querem ter trabalho com surdos idosos, surdos teimosos, surdos que quebram ou perdem aparelhos auditivos...esses são casos anedóticos e estereotipados.

O DR. CELSO DA REOUVIR, CONVERSOU comigo pessoalmente, ouviu minha voz e eu ouvi a voz dele (com a ajuda de aparelho auditivo) e mesmo assim tentou me convencer da necessidade de acompanhante, ignorando que no momento estava falando comigo e não com um suposto acompanhante que me ajudaria a entender. 

SUA OBRIGAÇÃO, sr. Dorival é me mostrar onde consta uma regra, lei do SUS ou coisa parecida que obrigue um paciente de otorrino, que se comunica bem, que é adulto e lúcido a trazer acompanhante. Afinal o senhor deveria conhecer os direitos do paciente e não ser porta voz de argumentos falaciosos de médicos que buscam a comodidade.

O Dr. Celso me deu o número de uma portaria, que não afirma nada disso, de ser obrigatório um acompanhante.
Não nego que alguns pacientes necessitem apoio, acompanhantes. 
Não é o meu caso e não é o caso da grande maioria de surdos oralizados que conheço. 
O senhor conhece algum surdo oralizado? Acredito que não. 
Somos pessoas que estudamos, trabalhamos, damos aulas, temos títulos superiores de engenharia, sociologia, jornalismo...vivemos muito bem com nossas próteses auditivas, implantes, etc 
Vivemos bem até que algum burocrata nos venha criar barreiras preconceituosas...
Somos um grupo de pessoas cientes de nosso deveres e de nosso direitos.
Estivemos em Brasília a convite de deputados e senadores para falar de nossas necessidades de acessibilidade escolar, cultural, laboral etc. Participamos de palestras e entrevistas sobre acessibilidade para surdos e deficientes auditivos.Eu me dedico a atividades voluntárias e grupos de estudo e discussão de surdez há muitos anos.

Sei bem que outros centros de atenção à saúde auditiva pelo SUS em São Paulo e outros estados não fazem essa exigência para todos os pacientes...isso parece ser invenção do Reouvir que pretende se especializar em pacientes idosos...é claro que crianças e pessoas com  dificuldades precisam de acompanhantes responsáveis mas não deve haver IMPOSIÇÃO  a todos. E  o SUS deve atender a pacientes de todas as idades.

Espero que os senhores da área técnica de saúde conheçam mais as peculiaridades dos surdos e deficientes auditivos usuários da língua portuguesa...não admitimos sermos tratados como incapazes. E não admitimos a NEGAÇÃO DO DIREITO DE ATENDIMENTO em consulta pelo SUS, com invencionices de que acompanhante é exigência do SUS. Não é, isso é prepotência, abuso de poder. 

Se quiserem aprender alguma coisa sobre direitos das pessoas com deficiência perguntem à deputada Mara Gabrilli, à deputada Rosinha da Adefal, ao Antonio José, Secretário Nacional da Promoção dos Direitos das Pessoas com Deficiência, ao jornalista Jairo Marques...e tantas outras pessoas que trabalham nessa área.

Coloco sua disposição o blog Sulp - Surdos Usuários da Língua Portuguesa onde há artigos do mundo todo sobre os surdos oralistas, que usam próteses, língua portuguesa e não língua de sinais.
http://sulp-surdosusuariosdalinguaportuguesa.blogspot.com.br

Obrigada pela sua atenção, esperando que não atribua a todos os surdos comportamentos e dificuldades de alguns pacientes. E que se abstenha de argumentar usando afirmações preconceituosas e falaciosas.

Sônia Maria Ramires de Almeida socióloga, tradutora, blogueira
Rg 4.208.363
Deficiente auditiva há mais de 40 anos, que se comunica perfeitamente bem usando próteses adequadas, justamento o que estou necessitando no momento e que os "donos" da Reouvir pretendem me impedir de obter.

Não preciso, nunca precisei até agora de acompanhantes para me repetirem o que é um aparelho auditivo, como se usa, como se guarda...vou à minha consulta sem babá, porque já estou bem crescidinha e sou responsável pelos meus atos. E se não for atendida buscarei as medidas legais cabíveis. 
E sobre suas sugestões de acompanhantes:
Quanto aos parentes, não acho justo tirá-los do repouso no campo santo para me acompanharem a uma simples consulta médica.
Os amigos são muitos felizmente  e todos trabalham. 
A não ser que o senhor disponha de um tempinho para me acompanhar às consultas...não vai me ajudar em nada porque não preciso, mas pode estudar o ambiente hospitalar in loco, o que pode ser útil em seu trabalho.

E a novela continua...

NOSSOS DIREITOS - Hoje 19/102012 tinha consulta no Reouvir, aquele lugar ligado ao HCSP atende pacientes do SUS que exige que todo paciente candidato a aparelho auditivo leve acompanhante precisando ou não. Enquanto esperava escutei uma senhora se queixando que não tinha quem a acompanhasse e foi dito a ela que sem acompanhante não tem atendimento. E conversei com uma moça cujo pai teve que voltar para casa sem atendimento porque a mulher dele tinha ficado doente. A filha teve que faltar ao trabalho para companhá-lo. Em pouco tempo na sala de espera a mesma coisa se repete.
Eu denunciei essa situação SEM ACOMPANHANTE = SEM ATENDIMENTO às ouvidorias da Prefeitura, do Estado, do SUS, do HC e Ministério Público (este último ainda não tem parecer porque o juiz que acolheu a denúncia está em férias).
A denúncia, uma delas pelo menos, chegou à doutora que disse que faziam o melhor, que o atendimento deles era exemplar, etc...que ia me atender sem acompanhante e eu disse que não queria ser tratada diferente dos demais, que apenas queria o meu direito à autonomia. Resultado, me atendeu na consulta, fiz audiometria, moldes e vou testar aparelhos auditivos no dia 30/10...tá na cara que querem se livrar de mim o mais rápido possível. CONSELHO A TODOS se não forem atendidos ou se forem mal atendidos reclamem mas não verbalmente para os atendentes. Peguem nome o CRM dos médicos e escrevam para as ouvidorias correspondentes, é fácil achar na net. E relatem minuciosamente o que aconteceu com datas, fatos e nomes.


Queridos amigos, quanto mais lembro e penso na situação mais fico indignada...a médica que me atendeu estava furiosa comigo porque recebeu cópia de denúncias que fiz mas isso não a fez refletir, ela se aferrou mais ainda às regras que inventaram na Reouvir. O ACOMPANHANTE DEVE SER SEMPRE O MESMO. Isso é um absurdo porque são várias idas para exames até definir o aparelho auditivo, etc. QUALQUER PACIENTE DEVE TER ACOMPANHANTE dizem que é regra do SUS, ela me mostrou um formulário onde tinha espaço para assinatura do paciente ou responsável (CONFUNDE RESPONSÁVEL COM ACOMPANHANTE) eu disse aqui diz paciente OU responsável e não paciente E responsável. E assim por diante. Afixaram no quadro de avisos uma norma do SUS que fala em acompanhante para internação. Acontece que lá é ambulatório ninguém fica internado. Então vejo que é má fé mesmo. Distorcem regras para comodá-las a suas exigências próprias que dizem ser do SUS. ISSO É MUITO GRAVE!
Eu estou tendo atendimento e as demais pessoas? Isso me preocupa muito, as pessoas que são vítimas da prepotência de médicos que inventam regras...a doutora que me atendeu se mostrou simpática, abraçando alguns pacientes...isso não me comoveu, não quero abraços quero respeito!





4 comentários:

Elton Vergara Nunes disse...

Sônia, concordo contigo que se trata de um absurdo, um absurdo de uma burocracia burra. Pior, uma burocracia que parece analfabeta que onde está escrito "direito" lê dever. O acompanhante é um direito de quem achar que dele precisa, o acompanhante é um direito do paciente para garantir seus direitos de paciente. Não pode ser uma obrigação, um dever. Uma pessoa pode abrir mão de seus direitos, se assim o desejar. este é o caso. Mas não pode ser obrigada a fazer algo contra si própria, nem contra a sua consciência, quando a lei, inclusive o permite. Força!!

soramires disse...

Elton grande companheiro de troca de ideias, fico feliz com seus comentáriose isso me dá forças para seguir adiante. Brigo por um direito meu e de outras pessoas que por desconhecimento de seus direitos ficam intimidadas e baixam a cabeça.

Mauricio Sá disse...

Olá Sonia.

Infelizmente, a sociedade, ainda nós vê, os surdos são dependentes.
Sou surdo há mais de 40 anos e oralizado e implantado, sei como são as coisas. O importante é não desanimamos na busca do nosso direito.

Abraços

Mauricio Sá
BH MG

soramires disse...

Mauricio Sá agradeço seu comentário, temos que mostrar às sociedade que podemos ser independentes sim, com ajuda de prótese, implantes e tudo que a tecnologia nos oferece.

Postar um comentário

DEIXE AQUI O SEU COMENTÁRIO