segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

ACESSIBILIDADE CULTURAL EM SÃO PAULO

Este é o Guia de Acessibilidade Cultural da cidade de São Paulo - 2ª edição, atualizado, ampliado e com informações relevantes sobre a acessibilidade dos mais diversos espaços de cultura da cidade de São Paulo. Aqui, além de prestarmos um serviço de informação de interesse público referente às pessoas com deficiência, destacamos as instituições que investem para garantir o acesso de toda população nos equipamentos e dispositivos culturais.


http://acessibilidadecultural.com.br/

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

MÚSICOS E PREVENÇÃO DA SURDEZ

http://portalotorrino.com.br/prevencao-da-surdez-e-orquestra-sinfonica-da-australia/

Prevenção da Surdez e a Orquestra Sinfônica da Austrália

foto de Simon.
Um artigo publicado nesse mês de novembro na Annals of Occupational Hygiene e liderado por Ian O’Brien da Universidade de Sydney, apresenta os detalhes um programa pioneiro paraprevenção da surdez nos músicos da orquestra sinfônica da Austrália.
É sabido que nossas orelhas podem ser danificadas definitivamente quando expostas à ruídos superiores a 85 decibéis. Considerando-se que uma orquestra sinfônica podem haver picos que ultrapassam os 130 dB, fica fácil perceber o risco que correm aqueles que mais precisam de captar as nuances melódicas e harmônicas que compõem a música erudita. Um grande estudo alemão recente demonstrou que músicos têm um risco 57% maior de desenvolver perda auditiva quando comparados a população em geral.
Os 3 primeiros anos do programa, que já dura 9, foram para mapear e monitorar a exposição sonora nos diversos pontos da orquestra e de cada um de seus membros. Levando-se em conta que o risco da surdez varia com a predisposição genética de cada músico e com o instrumento tocado por ele, foram desenvolvidos protetores auditivos eletrônicos personalizados e de alta performance, bem como introduzidos no corpo da orquestra equipamentos chamados risers, capazes de transferir à plateia a música oriunda da parte de trás, sem que ela tenha que passar pelos músicos da frente. Institui-se também a rotação nas posições dos músicos e a instalação de telas absortivas em alguns espaços acústicos pobres.
A perda auditiva induzida pelo ruído pode se instalar lentamente, o que dificulta o seu diagnóstico no início. Além disso, o uso de protetores é muito raro em músicos que, entregues completamente a sua arte, têm dificuldades para se adaptarem a dispositivos que alteram a forma como percebem o som produzidos por eles. Entretanto, o conhecimento do risco e iniciativas como a australiana mostram que é possível unir música de qualidade e cuidado com audição.

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

ARO MAGNÉTICO: TECNOLOGIA ASSISTIVA PARA DEFICIENTES AUDITIVOS É DIVULGADA NO BRASIL

Câmara realiza curso de capacitação em aro magnético

Com o objetivo de promover cada vez mais a inclusão de pessoas com deficiência, a Câmara realizou, no final de janeiro, um curso de capacitação sobre a tecnologia chamada aro magnético, um sistema de escuta assistida para beneficiar pessoas com deficiência auditiva.
A intenção do Programa de Acessibilidade da Câmara é instalar o aro magnético em áreas de atendimento ao público e em plenários, auditórios e demais espaços de conferência da Casa, locais onde se realizam os grandes debates durante audiências públicas, sessões, seminários e eventos diversos.
O curso foi ministrado pelos professores Ivom Rodrigues Pereira Junior e Roberto Machado, engenheiros eletricistas do Centro Paula Souza, uma autarquia do Governo do Estado de São Paulo que administra escolas técnicas e faculdades de tecnologia estaduais. As aulas, teóricas e práticas, contaram com a participação de funcionários de diversas áreas (Detec, Cenin, Decom, Defin, Cedi e Aproge - Programa de Acessibilidade).
Aro magnético
Também conhecido como amplificador de indução magnética, essa tecnologia de baixo custo consiste em um sistema de transmissão sonora instalável em ambientes fechados para permitir que pessoas usuárias de aparelhos auditivos tenham acesso às informações com maior clareza.
O equipamento funciona com base em um receptor instalado em uma sala de aula, auditório, teatro, cinema, igreja, entre outros, onde o palestrante usa um microfone que permite que seu som amplificado seja captado pelo receptor e distribuído por ondas magnéticas aos aparelhos auditivos. Basta, para tanto, posicioná-los em uma determinada frequência. Dessa forma, eliminam-se interferências, ecos, reverberações e ruídos que muitas vezes prejudicam a audição e a compreensão. A tecnologia é bastante utilizada na Argentina e em países da Europa, como Inglaterra, Alemanha e Dinamarca.

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Profissionais de audiodescrição e legendagem: estágio na Inglaterra.

EXCELENTE NOTÍCIA

SÁBADO, 25 DE OUTUBRO DE 2014


Ministério da Cultura articulou estágio para audiodescritores e legendistas na Inglaterra


A Secretaria da Economia Criativa do Ministério da Cultura (SEC/MinC), em parceria com o British Council, articulou uma oportunidade de estágio sobre acessibilidade cultural em duas das mais renomadas instituições do Reino Unido: a Stagetext e VocalEyes, que promovem a acessibilidade cultural por meio da áudio-descrição e legendagem nos projetos de arte do Reino Unido. A iniciativa das organizações busca promover o acesso de pessoas com necessidades especiais à produção e difusão cultural e artística.

O selecionado poderá desenvolver modelos a serem implementados no Brasil no setor cultural. Para tanto, o profissional acompanhará a equipe da Stagetext e Vocaleyes em todo o processo de planejamento e produção das tecnologias de acessibilidade. Além disso, terá acesso aos materiais de treinamento para desenvolver um curso de formação semelhante no Brasil. Durante o intercâmbio, o selecionado terá a oportunidade de articular com os parceiros locais dessas organizações e aprenderá mais sobre os modelos de negócios do setor de acessibilidade cultural do Reino Unido.
Para se candidatar é preciso ter inglês intermediário. O estágio tem início em março de 2015 e sua duração é de até três meses. Os candidatos devem se inscrever no edital Conexão Cultura Brasil #Intercâmbios até o dia 7 de novembro e também no site do British Council.
Fonte: Assessoria de Comunicação do Ministério da Cultura

http://www.blogdaaudiodescricao.com.br/2014/10/estagio-para-audiodescritores-e-legendistas-na-inglaterra.html?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+BlogDaAudiodescricao+%28Blog+da+Audiodescri%C3%A7%C3%A3o%29

Acessibilidade cultural é tema de estágio no Reino Unido

by Ricardo Shimosakai
Estagiários poderão aprender mais sobre legendagem em produtos culturais e trazer o conhecimento para o BrasilEstagiários poderão aprender mais sobre legendagem em produtos culturais e trazer o conhecimento para o Brasil
A Secretaria da Economia Criativa do Ministério da Cultura (SEC/MinC), em parceria com o British Council, articulou uma oportunidade de estágio sobre acessibilidade cultural em duas das mais renomadas instituições do Reino Unido: a Stagetext e VocalEyes.
Ambas promovem a acessibilidade cultural por meio da áudio-descrição e legendagem nos projetos de arte do Reino Unido. A iniciativa das organizações busca promover o acesso de pessoas com necessidades especiais à produção e difusão cultura e artística.
O selecionado poderá desenvolver modelos a serem implementados no Brasil no setor cultural. Para tanto, o profissional acompanhará a equipe da Stagetext e Vocaleyes em todo o processo de planejamento e produção das tecnologias de acessibilidade.
Além disso, terá acesso aos materiais de treinamento para desenvolver um curso de formação semelhante no Brasil. Durante o intercâmbio, o selecionado terá a oportunidade de articular com os parceiros locais dessas organizações e aprenderá mais sobre os modelos de negócios do setor de acessibilidade cultural do Reino Unido.
Para se candidatar é preciso ter inglês intermediário. O estágio tem início em março de 2015 e sua duração é de até três meses. Os candidatos devem se inscrever no edital Conexão Cultura Brasil #Intercâmbios até o dia 7 de novembro e também no site do British Council.
Fonte: Ministério da Cultura

terça-feira, 21 de outubro de 2014

TEATRO COM LEGENDAS, AUDIODESCRIÇÃO E LIBRAS NO RIO DE JANEIRO 26.10.2014 E 16.11.2014


Projeto Teatro Acessível terá sessão da peça Depois do Ensaio, de Ingmar Bergman, no dia 26 de outubro, às 20 horas, no Teatro Oi Futuro Flamengo.
Audiodescrição, interpretação em LIBRAS e legendas closed caption.


O Projeto Teatro Acessível realiza sessão com recursos de acessibilidade na peça Depois do Ensaio, de Ingmar Bergman, no domingo, dia 26 de outubro, às 20 horas no teatro Oi Futuro Flamengo. Serão disponibilizados os recursos de audiodescrição e programas em Braille para pessoas com deficiência visual; e intérprete de LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) e legendas closed caption para deficientes auditivos. O projeto, realizado pela Lavoro Produções, acontece uma vez por mês, durante todo o ano nos teatros Oi Futuro.

Encenada pela primeira vez no Brasil, a peça Depois do Ensaio, de Ingmar Bergman, tem direção de Mônica Guimarães e no elenco Denise Weinberg, Leopoldo Pacheco e Sophia Reis.

Para a diretora Mônica Guimarães, Depois do Ensaio “é uma oportunidade de refletir a própria profissão. E, nesta reflexão sobre nosso ofício, de revisitar as relações profissionais e as do quintal da sua própria casa. Exatamente como Vogler, o diretor, o faz na peça e também assim como Bergman insiste em sua obra - uma miscelânea de pensamentos, situações e reacessos das entranhas da sua própria vida. Depois do Ensaio é, sobretudo, uma celebração ao cinema e ao teatro”.

“Depois do Ensaio tem muito a ver com minha atitude, minha relação com a arte teatral, com este ofício bagunçado, sombrio e cruel”, explicou o próprio Bergman. “Enquanto eu escrevia, devo ter atingido um nervo ferido ou, se quiser um veio subterrâneo de água. Do meu inconsciente, surgiram estranhos cipós retorcidos e ervas daninhas; tudo se transformou no mingau de uma bruxa. De repente, surge a amante do diretor, que é a mãe da jovem atriz. Ela morreu há anos, e ainda assim ela entra no jogo. No palco escuro, vazio do teatro, durante a hora tranquila, entre quatro e cinco horas da tarde, muito pode voltar para assombrá-lo. O resultado desta mistura é uma obra de televisão dramática que trata da vida no teatro”, completa.

Sinopse

Henrik Vogler (Leopoldo Pacheco), um diretor de teatro experiente e perfeccionista, ensaia a peça O Sonho, de August Strindberg. Depois de um tarde de trabalho, Vogler está em um "quasecochilo" no palco quando volta ao teatro sua jovem protagonista, Anna (Sophia Reis), com a desculpa de procurar uma pulseira perdida. Durante o que seria uma conversa casual, surge uma avalanche de revelações pessoais. Inseguranças, quereres, desamores vão transformando o texto em obra confessional. Em uma licença poética, ou num devaneio, ou mesmo em um sonho, entra em cena Raquel (Denise Weinberg), mãe de Anna, que em outros tempos interpretou o papel que hoje é da filha. O que houve naquela época? Por que Raquel volta no devaneio de Vogler? Foi um amor? Houve algo que parece se repete agora na figura de Anna. Coisas de sonho. Coisas de teatro...


Sobre o projeto Teatro Acessível

O projeto disponibiliza nas peças em cartaz os seguintes recursos de acessibilidade: audiodescrição, legendas closed caption e interpretação em LIBRAS e programas em Braile. É produzido pela Lavoro Produções, que tem uma trajetória voltada para a realização de iniciativas culturais com  acessibilidade, a exemplo do Assim Vivemos – Festival Internacional de Filmes sobre Deficiência e do Projeto Acessibilidade no Teatro Carlos Gomes.

“Nós entramos com todos os recursos de acessibilidade sobre a programação já existente no teatro, justamente para poder proporcionar às pessoas com deficiência melhor acesso e participação na vida cultural da cidade”, explica a coordenadora da Lavoro Produções, Lara Pozzobon, que idealizou o projeto junto com a especialista em audiodescrição Graciela Pozzobon.

“A produção de recursos de acessibilidade é uma prática nova no Brasil e no mundo, e por isso precisa que pessoas sensíveis se aproximem. A audiodescrição é uma técnica muito interessante de se trabalhar e normalmente quem conhece não quer parar. Há um mercado de trabalho que se abre aos poucos e como existem poucas iniciativas que disponibilizam o recurso, há muito a ser feito. Em qualquer lugar há uma pessoa com deficiência visual ou auditiva querendo ser incluída plenamente nas manifestações culturais”, explica a coordenadora de acessibilidade Graciela Pozzobon.

O projeto é uma das grandes apostas do Oi Futuro na área da cultura. “Temos um posicionamento pioneiro no Brasil na promoção da acessibilidade à cultura de pessoas com deficiência, seja apoiando projetos que atendem a esse público, seja investindo na acessibilidade arquitetônica e informativa de seus centros culturais”, acrescenta Roberto Guimarães, diretor de cultura do Oi Futuro. “Com o projeto Teatro Acessível, que está sendo realizado mensalmente, durante um ano, no Rio de Janeiro, no Oi Futuro Flamengo e Ipanema, reafirmamos a vocação do instituto de responsabilidade social da Oi para a democratização do acesso à cultura e à valorização da diversidade”, completa Guimarães.

“Conseguimos criar um público cativo e que vai crescendo a cada edição, um público interessado. Percebemos que é um processo de construção, um trabalho crescente e progressivo e que as pessoas com deficiência estão abertas a isso”, avalia Lara Pozzobon. “É muito bonito ver quando as três acessibilidades acontecem porque não só as pessoas com deficiência se beneficiam, como o restante do público normalmente fica muito encantado de estar ali com as pessoas com deficiência, assistindo o espetáculo em pé de igualdade”, acrescenta.


Serviço:

Projeto Teatro Acessível
Espetáculo: Depois do Ensaio
Datas: 26 de outubro e 16 de novembro
Horário: 20 horas
Autor: Ingmar Bergman
Tradução: Amir Labaki e Humberto Saccomandi
Direção: Mônica Guimarães
Elenco: Denise Weinberg, Leopoldo Pacheco e Sophia Reis
Local: Oi Futuro Flamengo (Rua 2 de Dezembro, 63 – Flamengo – Tel: 21- 3131-3060)
Gênero: drama
Duração: 1h20 
Classificação: 16 anos
Capacidade: 72 lugares
Preços: R$ 20,00 (meia-entrada para pessoas acima de 65 anos, estudantes, professores da rede pública e pessoas com deficiência)
Formas de pagamento: dinheiro e cartão de débito ou crédito
Bilheteria do teatro:  terça a domingo, de 14hs às 20hs
Tel. (21) 3131-3060
Vendas: 4403-1212 / ingressorapido.com.br


Contatos:
Lavoro Produções
21 2235 5255

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

TREINAMENTO AUDITIVO PARA QUEM USA PRÓTESES AUDITIVAS

A PAULA ESTÁ SEMPRE PROCURANDO ASSUNTO NOVO PARA A GENTE QUE USA PRÓTESES AUDITIVAS

TREINAMENTO AUDITIVO: OTIMIZANDO OS BENEFÍCIOS DO APARELHO AUDITIVO E DO IMPLANTE COCLEAR

Convidei uma fonoaudióloga especialista no assunto para escrever esse post, que acho que vocês irão amar! E o melhor é que os teimosos que insistem em não se esforçar para se adaptar aos seus aparelhos e implantes – ou, pior, insistem em não usá-los tendo indicação para isso – poderão se convencer a mudar de comportamento. Leiam com calma, pois tem muita informação importante para entender como ouvimos e como podemos melhorar o modo como ouvimos através da tecnologia.
LEIA A MATÉRIA COMPLETA NO LINK ABAIXO.

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

LEGENDAGEM DE FILMES PARA DEFICIENTES AUDITIVOS - UM ABSURDO TER QUE IR AO CINEMA COM TABLET OU CELULAR ISSO NÃO É ACESSIBILIDADE NÃO SOMOS REFÉNS DE EMPRESAS... -

LEGENDAGEM DE FILMES
Talvez eu possa parecer agressiva chata, reclamona, mas esse não é meu objetivo. Meu objetivo é discutir a acessibilidade para todos os surdos oralizados.
Apareceram tecnologias de legendagem (e audiodescrição que não cabe discutir aqui) que dependem de tablets e celulares que nem todo mundo tem e nem todo mundo pode ou deseja ter. Acho um absurdo que eu ou qualquer deficiente auditivo tenha que ir ao cinema munido de tablet ou celular para poder ter acesso à legendagem de filmes. ISSO DEVERIA SER UM SERVIÇO OFERECIDO PELOS EXIBIDORES, ASSIM COMO OS ÓCULOS PARA VER FILMES EM 3D. Já usei tablet para legendas no teatro e não gostei por ter que olhar ora para a telinha ora para o palco. MAS não tive que levar um tablet ao teatro. Estes eram emprestados aos deficientes auditivos presentes à sessão. PEÇOS AOS AMIGOS DESTE GRUPO QUE SE MANIFESTEM A RESPEITO PORQUE NOSSA ACESSIBILIDADE NÃO PODE DEPENDER DE ESCOLHAS E PARCERIAS DE EMPRESAS. É UMA NECESSIDADE NOSSA E NÃO DEPENDE DE NOSSAS SIMPATIAS POR TAL OU QUAL EMPRESA.
Enquanto na Argentina cada vez mais aumenta a oferta de AROS MAGNÉTICOS EM TEATROS, ESCOLAS, AMBIENTES CULTURAIS, E AUMENTAM AS INCIATIVAS PARA OFERECER FILMES LEGENDADOS AQUI NO BRASIL ESSAS OFERTAS SÃO INEXISTENTES. Não entendo porque...fico com a pulga atrás da orelha imaginando porque essas tecnologias são desprezadas no Brasil...algum boicote comercial?


http://blogs.estadao.com.br/vencer-limites/acessibilidade-na-mostra-internacional-de-cinema-de-sao-paulo/








Acessibilidade na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo

LUIZ VENTURA
17 Outubro 2014 | 12:31

Três sessões do filme ‘A Despedida’ terão audiodescrição e legendas, produzidas pela Iguale especialmente para o MovieReading.

Curta Facebook.com/VencerLimites
Siga @LexVentura
Mande mensagem para blogvencerlimites@gmail.com
O que você precisa saber sobre pessoas com deficiência

Foto: Divulgação
Aos poucos, com o auxílio muito bem-vindo da tecnologia, os recursos de acessibilidade ganham espaço. E o setor cultural tem demonstrado, cada vez mais, ser um exemplo muito positivo dessa integração. Algo que aproxima ainda mais público (com e sem deficiência) e espetáculo.
Uma oportunidade de conhecer mais sobre esse universo é a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. Três sessões do filme ‘A Despedida’ terão audiodescrição e legendas, produzidas pela Iguale especialmente para oMovieReading. Anote a agenda:
Espaço Itaú De Cinemas
Sábado, 18/10/2014
21:00 – sessão: 194
Sala: Frei Caneca 1
Cinecaixa Belas Artes
Terça-feira, 21/10/2014
21:45 – sessão: 532
Sala: Spcine
Espaço Itaú De Cinemas
Terça-feira, 28/10/2014
17:15 – sessão: 1075
Sala: Frei Caneca 3

Imagem: Divulgação/Thiago Barros/Iguale
O MovieReading, aplicativo já comentado neste blog, oferece audiodescrição e legendas em português (PTBR) para exibições em cinemas, DVD, TV (aberta e fechada) ou sites de vídeo on demand (Netflix, Crackle, Youtube, etc).
Você precisa instalar o aplicativo, que tem versões para Android e iOS, configurar o país de uso, e acessar o botão ‘Market’, que faz a busca, em um banco de dados. No caso da audiodescrição, o usuário precisa ter um fone de ouvido. As legendas aparecem diretamente na tela do smartphone ou tablet‘A Despedida’ - O longa ganhou quatro Kikitos no Festival de Gramado. Marcelo Galvão recebeu o prêmio de melhor diretor. Nelson Xavier e Juliana Paes, que vivem os protagonistas, foram escolhidos para melhores ator e atriz. E o prêmio de melhor fotografia foi para Eduardo Makino.
“É a história de um amor verdadeiro, sem limites e sem preconceito. Um filme único que, através da montagem e das interpretações dos protagonistas, nos coloca sob uma nova perspectiva, fazendo com que deixemos de ser meros espectadores para nos tornarmos também personagem”, afirma Marcelo Galvão.
Produzido pela Gatacine, o filme mostra deficiências, que todos temos ou teremos, naturais ou provocadas pelas circunstâncias, e acerta direto no fato de que essas características não nos reduzem ou nos transformam em seres diferentes de humanos.
Nelson Xavier vive ‘Almirante’ , um homem que sempre foi ativo e bon vivant. Aos 92 anos, ele enfrenta as dificuldades decorrentes da idade avançada e tem consciência de sua fragilidade. Atividades como sair da cama, calçar um sapato e atravessar a rua se tornem um desafio. Um dia, acorda se sentindo disposto e decide ir para a rua resolver pendências e realizar o desejo de rever o maior amor de sua vida, a amante, personagem de Juliana Paes, uma mulher 55 anos mais nova e apaixonada por ele.
“O filme busca provocar questionamentos e sensibilizar as pessoas, fazendo-as pensar profundamente sobre nossa própria existência e o efeito do tempo. A ideia é criar empatia e fazer com que cada espectador se coloque no lugar do protagonista, vivenciando uma experiência psicológica transformadora”, destacam os produtores.

FILME ARGENTINO COM LEGENDAS EM CASTELHANO ESFORÇO COLETIVO FAVORECE DEFICIENTES AUDITIVOS NA ARGENTINA

<<...OLE_Obj...>> 
Estimado Socio,

Les acercamos la siguiente gacetilla de prensa:

Relatos salvajes para personas sordas e hipoacúsicas

Se suman 16 nuevas salas.
Las mismas pertenecen a los complejos Cinemark, Hoyts y Village Cines y
están ubicadas en la Ciudad Autónoma de Buenos Aires, 
en la Provincia de Buenos Aires y algunas ciudades del interior del país.

La iniciativa del INCAA y de Kramer & Sigman Films ha contado con el
inmediato respaldo de Warner Bros Pictures, 
Cinecolor Lab y los exhibidores.

Esta es una experiencia inédita que posibilitó a más de 2000 personas con
dificultades auditivas que vieran la película 
en las funciones programadas la semana pasada en los espacios Incaa Gaumont
y Artecinema.

"Esta es una experiencia que impulsó el INCAA y desde K&S Films pudimos
colaborar en su implementación junto con Warner Bros. Pictures. 
Inicialmente se programó con subtítulos electrónicos en castellano en los
Espacios INCAA KM0 (Gaumont) y Artecinema, y la respuesta fue inmediata y 
el alto nivel de concurrencia nos sorprendió a todos. Ante esto Warner Bros.
Pictures propuso ampliar la iniciativa, y Cinemark, Hoyts y 
Village Cines se sumaron inmediatamente con salas digitales y facilitaron
toda su colaboración para que Relatos Salvajes 
pudiese verse en más salas y en distintas ciudades del país. Estamos muy
contentos con esta propuesta de 
accesibilidad que planteó el INCAA, y agradecidos con Warner Bros. Pictures,
Cinemark, Hoyts y Village Cines
por haberse sumado a esta iniciativa. "
Matías Mosteirin, Productor K&S Films.

"A partir de la iniciativa de las funciones subtituladas al castellano para
hipoacúsicos y sordos en los Espacios INCAA Cine Gaumont y 
Artecinema, los complejos multipantallas han decidido incluirlas dentro su
programación y 
es una oportunidad muy importante que se le da al espectador.
Estamos abriendo la posibilidad a que el público de todo el país pueda
disfrutar de este gran éxito de producción nacional, ampliando su
accesibilidad.
Sin duda alguna, el INCAA celebra esta importantísima acción de inclusión en
el sector audiovisual a todo el 
público argentino y que plantea una clara mirada federal." - Lucrecia
Cardoso- Presidenta Incaa

Ver detalle de salas y horarios:

Exclusivamente para la semana del 16 al 22 de octubre

Cinemark

Palermo - 17:40hs / Sala 4
Puerto Madero - 17:00hs / Sala 6
San Miguel - 18:50hs / Sala 4
Mendoza - 17:35hs / Sala 10
Santa Fe - 18:50hs / Sala 3

Hoyts
Abasto - 17:20hs / Sala 11
Unicenter - 17:20hs / Sala 14
Patio Olmos - 17:25hs / Sala 3
Quilmes - 22:40hs / Sala 2

Village Cines

Recoleta - 14 hs.
Caballito - 14 hs.
Pilar - 14 hs.
Avellaneda - 14 hs.
Mendoza - 17hs.
Neuquén - 17 hs.
Rosario - 17 hs.


Gaumont - 13:40 hs.

Artecinema - 21:45 hs.


<

Relatos salvajes es producida por Kramer & Sigman Films y El Deseo,
co-producida por Telefe, en asociación
con Corner Contenidos, y con distribución de Warner Bros. Pictures.

Saludos cordiales,

Mutualidad Argentina de Hipoacúsicos
Tte. Gral. J. D. Perón 1654
Tel. (011) 4370 9630 Fax. 5256 5626
rrii@mah.org.ar
www.mah.org.ar

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

MÚSICA E DEFICIÊNCIA AUDITIVA

Mais uma vez  LAK LOBATO TRATA DE UM ASSUNTO MUITO INTERESSANTE:

"Música na Voz de uma deficiente auditiva 
POR LAK LOBATO · 24 DE SETEMBRO DE 2014 Deficiencia auditiva impede gostar de música? A via de regra é essa. Afinal, música depende de boa audição. Mas, por outro lado, são as dificuldades que medem a importância de alguma coisa. E para quem tem risco de perder a capacidade de ouvir música, a  relação que se tem com elas muda muito. Hoje, minha amiga de facebook Rosana Schoeps conta como é ser cantora tendo perda auditiva: “Comecei a perder a audição aos 20 e poucos anos e não percebi. Fui diagnostica com perda auditiva devido a um teste profissional e procurei 2 especialistas que me recomendaram aparelho. O terceiro me propos a cirurgia de estapedectomia (naõ sei se esse é o nome correto). Em dois dias eu fiz a cirurgia no ouvido direito e ele me disse q no meu caso as chances de recuperação não seriam 100% só ajudaria a recuperar o convivio social. O resultado foi surpreendente e recuperação rápida. Ainda tenho perda acentuada no ouvido esquerdo e a recomendação de cirurgia futura ou uso do aparelho."
� por Lak Lobato 

Leia o texto original em:
http://desculpenaoouvi.laklobato.com/2014/09/24/musica-na-voz-de-uma-deficiente-auditiva/comment-page-1/#comment-17143

Sempre atribua a autoria - Vedado uso comercial - Proibido obras derivadas.

http://desculpenaoouvi.laklobato.com/2014/09/24/musica-na-voz-de-uma-deficiente-auditiva/comment-page-1/#comment-17143

terça-feira, 23 de setembro de 2014

LEITURA LABIAL

Uma prática muito comum entre quem possui deficiência auditiva é “ouvir com os olhos”. Não nos referimos aqui ao uso da Língua Brasileira de Sinais – Libras, mas sim à técnica da Leitura Labial (também chamada de Leitura Orofacial), muito usada entre os adeptos do Oralismo, isto é, deficientes auditivos cuja língua materna é o Português e que usam sua fala e resíduos auditivos para se comunicar oralmente. A Leitura Labial consiste na observação do posicionamento dos lábios do falante para que, junto com os sons ouvidos (ou não), a pessoa com deficiência auditiva consiga ter uma maior facilidade para compreender a mensagem falada pelo outro.
CONTINUE LENDO...

http://adap.org.br/site/index.php/artigos/150-a-tecnica-da-leitura-labial

CARTA DOS DIREITOS DOS USUÁRIOS DA SAÚDE

http://www.conselho.saude.gov.br/biblioteca/livros/AF_Carta_Usuarios_Saude_site.pdf

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Implantes diretos no nervo auditivo deverão substituir implantes cocleares

matéria compartilhada pela amigas  

Geraldine Brandeburski de Oliveira via Mariana Candal

Implantes diretos no nervo auditivo deverão substituir implantes cocleares

Redação do Site Inovação Tecnológica - 12/06/2007

A idéia de implantar minúsculos aparelhos auditivos eletrônicos no ouvido interno de pessoas com surdez profunda tem cerca de 30 anos - uma idéia radical para a época, quando a miniaturização da eletrônica dava seus primeiros passos.
Agora, cientistas da Universidade de Michigan, Estados Unidos, estão sugerindo um passo ainda mais radical para o tratamento de casos de surdez muito graves: implantar um dispositivo diretamente no nervo auditivo.
ler mais
http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=010110070612#.VBo77PldUQ6

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

IMPLANTE COCLEAR PELO SUS

08/09/2014 12h37 - Atualizado em 09/09/2014 16h36

Veja onde encontrar tratamento com implante coclear pelo SUS

O implante coclear é indicado a pessoas que praticamente não escutam nada e que não se beneficiem com o aparelho de audição convencional.

O implante coclear, ou mais popularmente conhecido como ouvido biônico, é um aparelho eletrônico de alta complexidade tecnológica, que tem sido utilizado nos últimos anos para restaurar a função da audição nos pacientes portadores de surdez profunda que não se beneficiam do uso de próteses auditivas convencionais.


http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2014/09/veja-onde-encontrar-tratamento-com-implante-coclear-pelo-sus.html