quarta-feira, 9 de abril de 2014

TESTE DA ORELHINHA AGORA AINDA MAIS PRECISO

Exames aumentam precisão do “teste da orelhinha”

http://guiadobebe.uol.com.br/exames-aumentam-precisao-do-teste-da-orelhinha/

Pesquisadores da Unesp de Marília, liderados por Ana Cláudia Vieira Cardoso, aprimoram diagnóstico de deficiência auditiva de recém-nascidos

A realização de testes de triagem auditiva complementares ao exame de Emissões Otoacústiscas Evocadas (EOA) – conhecido popularmente no Brasil como “teste da orelhinha” – pode aumentar a precisão e reduzir os custos do diagnóstico de deficiências auditivas em recém-nascidos.
A conclusão é do estudo “Programa de Saúde Auditiva Infantil: triagem auditiva em crianças de 0 a 3 anos de idade”, realizado por pesquisadores do Departamento de Fonoaudiologia da Faculdade de Ciências e Letras da Universidade Estadual Paulista (Unesp), campus de Marília, com apoio da FAPESP no âmbito de um acordo com a Fundação Maria Cecília Souto Vidigal (FMCSV).
Alguns resultados da pesquisa foram apresentados durante o I Seminário de Pesquisas sobre Desenvolvimento Infantil.
“Além do exame de Emissões Otoacústiscas Evocadas (EOA), a realização de outros testes auditivos pode tornar o diagnóstico de perdas auditivas em recém-nascidos mais preciso”, disse Ana Cláudia Vieira Cardoso, professora do Departamento de Fonoaudiologia da Unesp de Marília e coordenadora do projeto, à Agência FAPESP.
De acordo com Cardoso, a deficiência auditiva é uma das mais prevalentes em recém-nascidos.
De cada mil crianças nascidas vivas nas maternidades brasileiras, estima-se que entre uma e quatro apresentem perda auditiva.
Já em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) neonatal, essa incidência aumenta para entre duas e quatro crianças a cada cem nascidas vidas.
“A deficiência auditiva tem impactos em todos os aspectos e fases da vida da criança, tais como na aquisição e desenvolvimento da linguagem e na socialização”, avaliou Cardoso.
Diagnóstico precoce
A fim de ampliar a possibilidade do diagnóstico precoce de perdas auditivas em crianças, em 2010 foi sancionada a Lei Federal número 12.303, que tornou obrigatório e gratuito o “teste da orelhinha” em todo o território nacional.
O teste permite o diagnóstico de perda auditiva a partir da presença ou ausência de resposta dos recém-nascidos à emissão otoacústica (de sons provenientes da cóclea) produzido por um equipamento portátil, e encaminhar os bebês diagnosticados a um programa de reabilitação auditiva ou de implante de prótese coclear.
O exame, entretanto, ainda não é realizado amplamente nas maternidades e nos municípios brasileiros em razão do alto custo do equipamento – que custa, aproximadamente, R$ 20 mil.
Além disso, há casos em que não é possível fechar o diagnóstico apenas com o teste, e os recém-nascidos são encaminhados para a realização de exames complementares, feitos fora da maternidade.
“Isso torna o diagnóstico mais caro e aumenta a angústia das mães e das famílias dos recém-nascidos, que temem que a criança tenha realmente deficiência auditiva”, avaliou Cardoso.
Para melhorar a metodologia empregada no diagnóstico, os pesquisadores participantes do projeto realizaram um estudo com 645 crianças, nascidas no período de maio a novembro de 2013, na Maternidade Gota de Leite, vinculada à Secretaria Municipal de Saúde de Marília.
Desse universo de crianças, o “teste da orelhinha” não funcionou para 30 delas. Ou seja, não se chegou a um diagnóstico sobre se tinham ou não deficiência auditiva.
Ao submeter essas crianças a um segundo teste, chamado Potencial Evocado Auditivo de Tronco-Encefálico Automático (Peate-A) – realizado por meio de um equipamento comprado com recursos do projeto –, que detecta de forma rápida a presença de respostas auditivas dos recém-nascidos com intensidades mais fracas, os pesquisadores identificaram que apenas quatro tinham, de fato, problemas auditivos.
“Felizmente, nenhuma dessas quatro crianças foi diagnosticada com perda sensório-neural, que é irreversível”, contou Cardoso. “Todos tinham perdas condutivas [que podem ser revertidas ao longo da vida]”, afirmou.
“Se não tivéssemos feito esse exame, provavelmente essas 30 crianças que falharam no ‘teste da orelhinha’ teriam sido enviadas para um centro de diagnóstico e aumentaria a aflição de suas famílias”, estimou.
Os pesquisadores também observaram durante o estudo que crianças nascidas de parto cesárea apresentam maior possibilidade de falhar no “teste da orelhinha” do que os nascidos por parto normal. As razões para isso, no entanto, ainda estão sendo estudadas.
“Isso não quer dizer que crianças nascidas por cesárea têm maior risco de perda de audição por causa deste tipo de parto”, ressaltou Cardoso.
Os resultados do estudo serão apresentados em um encontro da Academia Americana de Audiologia, que ocorrerá entre os dias 26 e 29 de março de 2014 em Orlando, nos Estados Unidos.
Garantia de diagnóstico
Na avaliação de Cardoso, além do aumento da precisão e da redução do custo do diagnóstico, a realização de exames complementares ao “teste da orelhinha”, como o PEATE-A, antes da alta dos recém-nascidos nas maternidades, também aumenta a garantia de a criança com deficiência auditiva ser diagnosticada e receber tratamento adequado.
Isso porque é muito alto o índice de casos de mães de bebês que falharam no “teste da orelhinha” e que não voltaram ao hospital para realizar um novo teste, contou a pesquisadora.
“Também observamos que, quando a criança passa pelo ‘teste da orelhinha’, mas possui algum indicador de risco de perda auditiva, a mãe não retorna para a realização de um novo exame, e pode ser que essa criança desenvolva perda auditiva progressiva”, contou.
“Quanto mais cedo for feito o diagnóstico, maiores são as chances de minimizar as perdas auditivas e as crianças receberem tratamento adequado”, afirmou.
Os pesquisadores continuarão a acompanhar as quatro crianças que tiveram perda auditiva diagnosticada pelo Peate-A, além de outras com indicadores de risco para deficiência auditiva, como cujas mães tiveram sífilis, rubéola e toxoplasmose, entre outras doenças.
Elton Alisson
Agência FAPESP
Fernando Cunha
Agência FAPESP
Esta página foi publicada em: 02/04/2014.

segunda-feira, 7 de abril de 2014

LEGENDAS NA TV - se você surdo ou deficiente auditivo se sente prejudicado pela falta de legendas na TV reclame diretamente com a empresa ou entidade responsável.

Tendo visto algumas publicidades sobre eleições veiculadas na TV PELO TSE com janela de libras mas SEM LEGENDAS, reclamei no SITE DO TSE. Agradecemos a resposta e esperemos para ver se realmente as próximas publicidades do TSE terão legendas.
Vejam a resposta:

Protocolo de nº: 108861
Senhora SONIA MARIA RAMIRES DE ALMEIDA
A Assessoria de Informações ao Cidadão confirma o recebimento de sua mensagem.
Informo a Vossa Senhoria que a Assessoria de Imprensa e Comunicação Social deste Tribunal prestou o seguinte esclarecimento:
"Agradecemos a sua pertinente observação. O objetivo da Justiça Eleitoral é levar a todos os cidadãos mensagens esclarecedoras, claras e objetivas, com o intuito de contribuir, cada vez mais, com o aperfeiçoamento de nossa democracia. Para tanto, informamos que, a partir de agora, todas as propagandas institucionais do Tribunal Superior Eleitoral, veiculadas em televisão, serão legendadas. Atenciosamente, Assessoria de Imprensa e Comunicação Social Tribunal Superior Eleitoral".
O Tribunal Superior Eleitoral agradece o contato.
Tribunal Superior Eleitoral
Central do Eleitor
Setor de Administração Federal Sul - SAFS - Quadra 7
Lotes 1/2 - 8º andar - Sala A868 - Brasília (DF) - 70070-600

domingo, 6 de abril de 2014

SURDOS QUE ADORAM OUVIR MÚSICA, via implantes, aparelhos auditivos mais equipamentos auxiliares. A Lak Lobato conta sua experiência musical

Leiam o ótimo texto da Lak Lobato falando de sua experiência de ouvir música.

Muitas vezes até pessoas com audição normal saem frustradas de shows em ambientes em que não se


observaram normas para ter boa acústica.  Muitos imaginam que para ouvir bem é necessário investir 

no volume da amplificação. Puro engano, a sutileza da música pede muito mais que isso...há salas de


acústica primorosa e outras salas improvisadas em que ouvir música, teatro, etc. é uma tortura.




://desculpenaoouvi.laklobato.com/2014/04/05/eu-a-musica-e-o-implante-coclear/comment-page-1/#comment-16339



quarta-feira, 2 de abril de 2014

PROTETORES PARA APARELHOS AUDITIVOS


http://hearingaidsweatband.com
The Hearing Aid Sweat Band is made from specially designed, all natural fabric that sheds moisture while protecting the hearing aid from the damaging effects of dust & dirt. The Hearing Aid Sweat Band enables the wearer to leave their hearing aid in place, not only during high perspiration sport activities, but anytime to protect and defend from moisture, dust and dirt. It is available in 9 sizes and 17 colors for all makes and models of BTE devices. The Hearing Aid Sweat Band is the only made in the USA product in the marketplace comprised of a comfortable all natural fabric that is proven to protect the wearer's hearing aid from moisture.
Hearing aid's are adversely affected by moisture infiltration. This can be from perspiration or ambient moisture like rain or fog. The Hearing Aid Sweat Band has proven to protect your hearing aid from the negative effects of moisture.
Made from specially designed fabric, The Hearing Aid Sweat Band™ protects the behind the ear hearing aid from the damaging effects of moisture and still allows sound to readily pass through it. The special fabric is hypoallergenic, soft and supple and is not irritable to the skin. The Hearing Aid Sweat Band™ sheds moisture, but also absorbs perspiration and moisture that it does not shed, which is free to wick away and evaporate without holding the moisture in or against the hearing aid.
The Hearing Aid Sweat Band™ has the ability to absorb a large amount of moisture and allows the wearer to leave their hearing aid in place during high perspiration sports activities and protects the behind the ear hearing aid from hair spray and other hair styling products. (However, not recommended during hair washing.)
Hearing aid battery protection is made easy with the Hearing Aid Sweat Band™. Moisture getting inside your behind the ear hearing aid can create sudden loss of hearing due to the hearing aid battery shorting out or corroding. Everyone understands that moisture and electricity just don't mix, yet hearing aid devices are susceptible to this problem and do very little to seal the hearing aid battery. Protection of your BTE hearing aid battery from dampness, humidity, condensation, or wetness due to perspiration, rain, snow or other moisture-producing situations is now made easy with the Hearing Aid Sweat Band™.
The Hearing Aid Sweat Band™ assures you of continued quality sound and keeps your BTE safe from dust, dirt or sand while providing excellent moisture protection for your hearing aid battery. Feedback from wind is also greatly diminished.
Protect your hearing aid battery so that your BTE continues to perform well and provides you with the sound you are counting on -- the Hearing Aid Sweat Band™ is the answer.


The Ear Gear Advantage

A water resistant double wall spandex nylon sleeve that protects hearing instruments from dirt, sweat, moisture and loss, Ear Gear can radically improve your hearing instrument wearing experience. The soft spandex material also can make hearing instruments more comfortable to wear, protect the ears from chafing, minimizes the effect of wind noise, and prevents damage from clogged microphones and corroded batteries.
Whether you wear hearing aids (BTE and ITE), a Cochlear Implant or even a Baha Processor, Ear Gear has a model for you.  Available in 8 stylish colors, (Royal Blue, Black, Chocolate Brown, Beige, Camouflage, Lipstick Pink, Orange/Red and Grey), Ear Gear can add some pizzazz to  your hearing instruments, they are an ideal fashion accessory.  And remember not only can Ear Gear be washed and reused over and over but it is also acoustically transparent, so there is no effect of sound coming into the hearing instrument. To top it off- Ear Gear comes with a 1 year “unconditional customer satisfaction guarantee” – which simply put,  means you can try Ear Gear at no risk -  if it does not work for you for any reason - just send it back to us and we will refund ALL of your purchase price including shipping!
Ear Gear is not only the perfect solution for infants and toddlers, giving worried parents peace of mind, but it is just what the doctor ordered for active school age children, on the playground or around the house. Adults love Ear Gear too, they use it for dirty, dusty, or wet  work environments, in the garden , while mowing the lawn, or during any sort of sporting or outdoor activity such as running ,biking, hiking, fishing or canoeing. Ear Gear is great for anyone who has an active lifestyle. Seniors find Ear Gear gives them peace of mind as they always can locate their hearing instruments, this makes Ear Gear a must for any resident of a nursing home.

http://www.gearforears.com/

ACESSIBILIDADE: RECOMENDAÇÃO PARA GARANTIR ACESSIBILIDADE ÀS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

Poder Judiciário
RECOMENDAÇÃO N. 48 ,DE 11 DE MARÇO DE 2014
Altera dispositivos da Recomendação n. 27, de 16 de dezembro de 2009.
O PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA
(CNJ), no uso de suas atribuições legais e regimentais; e
CONSIDERANDO a decisão plenária tomada no julgamento do Ato Normativo
n. 0004724-57.2012.2.00.0000, na 184a Sessão Ordinária, realizada em
11 de março de 2014;
RESOLVE:
Art. 1o A alínea "a" da Recomendação n. 27, de 16 de dezembro de 2009,
passa a vigorar com a seguinte redação:
a) construção e/ou reforma para garantir acessibilidade para pessoas
com deficiência, nos termos da normativa técnica em vigor (ABNT 9050),
inclusive construção de rampas, adequação de sanitários, instalação de
elevadores, reserva de vagas em estacionamento, instalação de piso
tátil direcional e de alerta, sinalização sonora para pessoas com
deficiência visual, bem como sinalizações visuais acessíveis a
pessoas com deficiência auditiva,
pessoas com baixa visão e pessoas
com deficiência intelectual, adaptação de mobiliário (incluindo
púlpitos), portas e corredores em todas as dependências e em toda a
extensão (Tribunais, Fóruns, Juizados Especiais etc);
Art. 2- Esta Recomendação entra em vigor na data de sua
publicação.
Ministro Joaquim Barbosa

sábado, 29 de março de 2014

ACESSIBILIDADE, ATENDIMENTO E SEGURANÇA EM CINEMAS, TEATROS, E LUGARES PÚBLICOS PARA SURDOS USUÁRIOS DA LÍNGUA PORTUGUESA

DIVERSIDADE NA SURDEZ 
Acessibilidade para todos os surdos.
SÔNIA MARIA RAMIRES DE ALMEIDA
Blog SULP SURDOS USUÁRIOS DA LÍNGUA PORTUGUESA
Há surdos que se comunicam usando a língua  brasileira de sinais, libras, para esses é necessário janela de libras nos audiovisuais e intérpretes para comunicação em geral. Como não fazem parte da minha vivência cotidiana desconheço se têm outras necessidades de comunicação. E lembro que muitos usuários de libras também conhecem a língua portuguesa, então podem  usar legendas e textos escritos.
Há surdos que são oralizados, fazem leitura labial e são alfabetizados em português: necessitam legendas escritas.
Para as legendas existem as closed caption (legendas ocultas) usadas na televisão, que podem ser acionadas ou não, as open caption, usadas em cinema e teatro, e  o acompanhamento de aulas, palestras, sessões de tribunais, etc com legendas feitas por ESTENOTIPIA por profissionais especializados e que podem posteriormente ser impressas.
Em cinema, teatro, etc. as legendas podem ser apresentadas numa tela complementar abaixo ou acima do palco. Existem também pequenas telas acopladas à poltrona para uso individual do espectador. Até existe a tecnologia para transmissão de legendas via celular. Mas geralmente são mais funcionais as soluções coletivas.
Em todos os locais públicos necessitamos informações escritas e alarmes luminosos. Tudo que for dito por alto falantes deve aparecer também escrito em telões.
Entre os surdos oralizados  um grande número pode ouvir usando próteses, como aparelhos auditivos e vários tipos de implantes.
Faço parte deste último grupo.
Existem equipamentos de sonorização especial que enviam som diretamente para aparelhos auditivos e implantes, e assim podemos ouvir teatro, cinema, música, palestras, aulas...diretamente nas próteses, eliminando ecos, ruído ambiente, etc...
O FM é um equipamento individual e requer um microfone próximo à fonte sonora e um receptor acoplado à protese auditiva da pessoa surda.  
O Amplificador de Indução Magnética, aro magnético * (hearing loop) transmite o som  para o ambiente. sendo captado pelo aparelho auditivo ou implante, sendo por isso  de uso coletivo. Nenhum deles interfere no som ambiente e não prejudica a audição das pessoas não surdas.
* veja o que é Aro Magnético:
Existe uma enorme diversidade na surdez  assim como soluções específicas para a acessibilidade de cada grupo. 
Dados do Censo do IBGE - 2010
DEFICIÊNCIA AUDITIVA
BRASIL  
NÃO CONSEGUE (OUVIR) DE MODO ALGUM ......347.481 
GRANDE DIFICULDADE (PARA OUVIR).........................1.799.885 
ALGUMA DIFICULDADE (PARA OUVIR) ........................7.574.717
OS NÚMEROS OFICIAIS ACIMA INDICADOS NADA DIZEM SOBRE QUEM É ORALIZADO, USA PRÓTESES AUDITIVAS, IMPLANTES, LEITURA LABIAL OU LÍNGUA DE SINAIS. 
MAS PODEMOS SUPOR QUE TANTO OS QUE APRESENTAM GRANDE DIFICULDADE OU ALGUMA DIFICULDADE PARA OUVIR PODEM SE BENEFICIAR DE AJUDAS TÉCNICAS QUE LHES PERMITAM OUVIR E APRENDER A FALAR, APRENDER A LÍNGUA PORTUGUESA, ETC. 
SEGURANÇA E ACESSIBILIDADE PARA SURDOS QUE NÃO USAM LÍNGUA DE SINAIS, USUÁRIOS PRÓTESES AUDITIVAS, QUE PODEM LER E ESCREVER A LÍNGUA PORTUGUESA.
As pessoas surdas e deficientes auditivos geralmente não necessitam de adaptações do espaço físico visando melhorar a locomoção, mas são necessários recursos que facilitem a comunicação.
SITUAÇÕES DE EMERGÊNCIA  E OUTROS AVISOS: é importante que todos os avisos emitidos por alto-falantes sejam também exibidos de forma escrita, em painéis visíveis em todo o recinto.
NA FALTA DE ENERGIA ELÉTRICA É IMPORTANTE LUZ DE EMERGÊNCIA E INDICADORES DE SAÍDAS LUMINOSOS. 
ELEVADORES - se não houver ascensorista a sinalização de emergência, botão para pedir ajuda deve estar bem identificado e com explicações de procedimento para esperar calmamente o auxílio dos funcionários.  Se faltar energia elétrica é importante haver luz de emergência. Se alguma pessoa surda ficar presa no elevador talvez não possa escutar as instruções de auxílio de quem está do lado de fora.
PARA UMA PESSOA QUE NÃO OUVE OU OUVEL POUCO A FALTA DE ENERGIA ELÉTRICA É UMA SITUAÇÃO MUITO SÉRIA PORQUE PERDEMOS A REFERÊNCIA VISUAL QUE AJUDA NA ORIENTAÇÃO, POR ISSO AS LUZES DE EMERGÊNCIA SÃO FUNDAMENTAIS PARA EVITAR PÂNICO.
ATENÇÃO NA ENTRADA, BILHETERIAS E SERVIÇOS DE LANCHONETE.
Importante sempre, não atender a várias pessoas ao mesmo tempo, o deficiente auditivo, que usa aparelhos, próteses, implantes não consegue entender a fala no meio de um tumulto ou de várias pessoas falando. Se for impossível isolar a conversa, paciência e um bloco e caneta para escrever sempre ajudam. Ter sempre o máximo de informação impressa e bem visível é muito importante.  E para os surdos que fazem leitura labial é importante falar de frente, não há necessidade de gritar ou falar muito alto, só elevar a voz se a pessoa solicitar.
Bilheterias - preços de meia entrada e inteira devem estar visíveis assim como os horários das sessões...se não tiver espaço para estar sobre a bilheteria que esteja num quadro ao lado. Facilita muito para a pessoa surda alfabetizada em português ter informação escrita.
Na Europa existem bilheterias com sistema de som (amplificador de indução magnética ou aro magnético) que pode ser captado por aparelhos auditivos ou implantes cocleares.
Um quadro com a descrição do programa, do filme etc. também evita perguntas
Cafeteria:  se possível os produtos e seus preços devem estar bem visíveis. Cardápios com fotos e descrição do produto ajudam muito.  E ao perguntar ao cliente se é com açúcar ou adoçante, se é gelado ou sem gelo, etc. É indicado falar olhando para a pessoa, nunca de costas, e falar pausadamente.
Muitas vezes a pessoa surda oralizada não tem uma boa dicção e fica difícil para os atendentes compreenderem as perguntas...é sempre útil ter um bloco e caneta para que a pessoa escreva a pergunta e se for o caso o atendente escreva a resposta.
BANHEIROS  devem ter identificação visível por escrito e se estiver fora da vista geral deve ter placas sinalizando a direção. Para evitar que as pessoas tenham que perguntar onde está.
ARO MAGNÉTICO (TEXTO)
É um sistema de transmissão de som sem fio através de um campo magnético. Solução barata, eficaz,  fácil de instalar e de usar o aro de indução magnética melhora a qualidade de audição das pessoas surdas ou deficientes auditiva porque elimina a interferência do ruído ambiente.
O princípio dos amplificadores de indução magnética é simples.
Quando um sinal elétrico percorre um condutor ele cria um campo magnético em torno dele. Esse campo magnético é o vetor  do sinal áudio que é recebido diretamente pela bobina de indução que existe nos aparelhos auditivos (tecla T - função telefone).
O sistema é composto por um amplificador de áudio conectado q uma fonte sonora (microfone, TV, etc.) e por um condutor cuidadosamente instalado que funciona como antena: é o aro (ou laço). O sinal áudio baixa frequência é enviado diretamente do aro em vez de ser enviado através de
alto-falante. Os amplificadores utilizados devem estar instalados para esse fim.
Quem pode se beneficiar com o uso desse equipamento?
Qualquer pessoa que use um aparelho auditivo que tenha um captador magnético (bobina de indução e comutador com a posição T): é quase sempre o caso dos aparelhos auditivos retroauriculars e de alguns implantes cocleares. Peça ao  fonoaudiólogo para ativar ou regular a bobina de indução, e mostrar como funciona.
Existem adaptadores tipo fone de ouvido para as pessoas que não usam aparelhos auditivos.
Que locais podem ser equipados?
Todas as salas públicas e privadas como salas de reunião, de conferência, cinemas, teatros, igrejas, residências particulares, etc.
É necessário fazer uma instalação especial?
Este sistema é totalmente autônomo. No caso de qu a sala já possua equipamento de sonorização o amplificador de indução magnética poder ser conectado nele. Mas o amplificador de indução magnética é um amplificador específico que deve preencher alguns requisitos.
Existem pequenos amplificadores de indução magnética portátil que podem ser instalados temporariamente para reuniões: a única instalação a fazer é a do cabo condutor que deve ser instalado numa altura correspondente á altura dos receptores.
O comprimento do cabo e a potência do amplificador devem ser compatíveis com a superfície coberta pelo sinal.
Quais as vantagens de um uso coletivo?
O sinal áudio transmitido é o dos microfones. Portanto é livre de interferências, barulho ambiente e reverberações (ecos) que existem frequentemente nas salas públicas e que atrapalham a compreensão. O som é dessa maneira mais claro e a fala mais inteligível. A tecnologia utilizada é simples e o material não é caro.
Quais as vantagens para um uso doméstico?
Para uso individual o equipamento pode ser instalado em residências. Serve para ouvir a TV, o rádio, equipamentos de CD, campainhas e telefone: muito conforto na audição sem incomodar os vizinhos.
Que limitações existem?
Pode ser difícil conseguir um campo magnético uniforme nó espaço coberto: a audição não terá a mesma qualidade em todos os pontos. O sistema pode sofrer interferências geradas por outras instalações elétricas ou outros equipamentos de indução magnética que estejam próximos.
Pode-se ouvir ao mesmo tempo o som captado do amplificador e o som do meio ambiente?
Não e isso pode incomodar no caso de uso individual porque a pessoa que ouve a TV não pode ouvir a conversa das pessoas próximas. Mas em algumas próteses existe uma posição intermediária - MT - que permite ouvir o sinal emitido pelo sistema de indução e ao mesmo tempo o som captado do ambiente pelo aparelho auditivo (assim a pessoa não perde a conversa dos demais).
As salas equipadas com amplificador de indução magnética possuem uma indicação visual: o símbolo internacional da surdez  com um T
Amplificador de indução magnética instalado
Coloque seu aparelho auditivo na posição T.
Mais informações:
Embora este sistema seja simples, as condições práticas da instalação e funcionamento dos amplificadores de indução magnética em salas públicas devem cumprir algumas exigências. Muitas vezes os amplificadores instalados funcionam mal porque o pessoal técnico da sala não tem as informações indispensáveis.
Existem normas técnicas que se fixam mais nos resultados obtidos (medida do campo de ação do sinal)
O nome aro ou laço magnético não é o correto porque não basta apenas rodear um ambiente no seu perímetro para que o sistema funcione. Isto até pode ocorrer mas na maioria dos casos os aros deverão ter posicionamentos diferentes. Na verdade se fala de um aro porque as extremidades do fio que constituem a "antena" são ligadas nas saídas do amplificador formando um anel.
Não é possível escolher um amplificador de indução magnética somente levando em conta a área a cobrir, porque para uma mesma área, conforme a relação entre as dimensões do aro e o local as características do amplificador podem variar.
Dados técnicos
O sistema se compõe do aro propriamente dito, feito de um condutor isolado e de um amplificador específico porque um amplificador clássico, mesmo provido de um transformador adaptador de impedância, para sonorização não se adapta. O sinal áudio de baixas frequências que percorre o aro cria um campo magnético captado diretamente pelos aparelhos auditivos que possuam a bobina de indução, na posição T.
O campo magnético gerado pelo aro não é afetado por materiais isolantes tais como vidro, pedra, madeira, etc, mas em contrapartida pode ter interferências causadas pela presença de metal. O metal provoca perdas, deforma o campo magnético e modifica a resposta áudio.
Duas situações: as interferências metálicas não ocorrem ou são mínimas (construções antigas) ou  as interferências metálicas são importantes (estruturas modernas de concreto armado, degraus metálicos, tetos suspensos com estrutura metálica, paredes metálicas...)
Se as interferências metálicas são fracas é possível instalar aros simples, perimétricos, que poderão cobrir dimensões maiores.
Mas é sempre iidispensável respeitar um desnível conveniente do aro com relação ao plano de escuta para que se possa obter um campo magnético regular.
Quando as dimensões da zona a ser equipada permitem, o aro pode ser colocado ao nível do chão. Um aro simples pode eventualmente rodear uma construção pelo lado externo ou mesmo ser enterrada.
Limites de uso dos aros simples perimétricos
Um aro simples perimétrico emite sinal forte a seu redor nas três dimensões, até uma distância que pode chegar a 3 ou 4 vezes sua largura. Se isso não atrapalha na maioria dos casos, não será desejável se houver outros aros nas proximidades (interferência) ou se houver necessidade de confidencialidade.
Mesmo em espaços de igual dimensão, conforme a relação comprimento-largura do aro, as características do amplificador podem ser bem diferentes. E outro aspecto: quanto maior é o aro, mais atenção se deve dar ao som desnivelado, e mais possante deve ser o amplificador para compensar as perdas devidas à distância.

CABE LEMBRAR QUE A EVOLUÇÃO DA TECNOLOGIA SEM FIO PERMITE INTERCONECTAR APARELHOS AUDITIVOS, IMPLANTES COCLEARES, ETC. MAS SABEMOS QUE AVANÇOS TECNOLÓGICOS SÃO CAROS E NEM SEMPRE ESTÃO AO ALCANCE DE TODAS AS PESSOAS, POR ISSO TRATAMOS DE INSISTIR EM SOLUÇÕES DE USO COLETIVO.

SESC SÃO PAULO FESTIVAL MELHORES FILMES EDIÇÃO 2014 COM AUDIODESCRIÇÃO E LEGENDAS A PARTIR DE 2 DE ABRIL

ONTEM ESTIVE NUM EVENTO DO CINESESC MUITO INTERESSANTE. foram convidados a falar aos funcionários explicando as diversas deficiências e como promover a acessibilidade de pessoas com deficiência militantes de várias àreas como PESSOAS COM BAIXA ESTATURA, surdez, cegueira, etc...O INTERESSE DO SESC EM PROMOVER A ACESSIBILIDADE PARA TODO TIPO DE DEFICIÊNCIA É EXEMPLAR. eSPERAMOS QUE UM DIA TODAS AS INSTITUIÇÕES EDUCACIONAIS E CULTURAIS TENHAM ESSA MESMA ATITUDE.



EU SENDO SURDA TENHO MUITA DIFICULDADE EM VER FILMES BRASILEIROS,  MAS COM O RECURSO DE LEGENDAGEM NÃO PERCO NADA DO ESPETÁCULO. ASSIM COMO OS CEGOS QUE PODEM ACOMPANHAR OS DETALHES VISUAIS PELA AUDIODESCRIÇÃO.

Impredível!!  54 filmes, 28 estrangeiros e 26 nacionais - todos com audiodescrição e legenda (open caption)

Na Cidade de São Paulo (na Rua Augusta, perto de metrô) em em mais 13 cidades  do Interior.

Vamos prestigiar e divulgar!!

Notícias no Blog da Audiodescrição (abaixo)

SEXTA-FEIRA, 28 DE MARÇO DE 2014


Festival Melhores Filmes - edição 2014 - está ainda mais imperdível

O SESC-São Paulo dá início no dia 2 de abril ao tradicional Festival SESC Melhores Filmes, no CineSesc, com a cerimônia de abertura da 40ª edição do evento. Nessa noite, serão entregues os prêmios aos vencedores nas categorias de melhor filme, documentário, ator, atriz, direção, roteiro e fotografia para os filmes brasileiros e melhor filme, direção, ator e atriz para os filmes estrangeiros, eleitos por crítica e público entre os filmes que chegaram aos cinemas paulistanos ao longo do ano de 2013.

  • A edição 2014 do festival exibe longas brasileiros e estrangeiros votados por crítica e público como os melhores de 2013.
  • A sessão de abertura do festival, dia 2 de abril no CineSesc, terá a exibição, em pré-estreia, do filme ‘Hoje Eu Quero Voltar Sozinho’, de Daniel Ribeiro.
  • Para comemorar os 40 anos do Festival SESC Melhores filmes serão exibidos, ao longo da programação, clássicos do cinema brasileiro, vencedores do Festival SESC. Entre os destaques estão filmes de diretores como Leon Hirszman, Nelson Pereira dos Santos e Hector Babenco, entre outros
Como parte das comemorações pelos 40 anos do Festival SESC Melhores Filmes, a edição desse ano conta com a sessão ‘Seleção 40 Anos’, que será composta por nove longas brasileiros vencedores do Festival SESC Melhores Filmes ao longo dessas quatro décadas. Serão exibidos, ao longo do evento, clássicos do cinema brasileiro. Entre eles, destaque para ‘Eles Não Usam Black Tie’, de Leon Hirszman, ‘O Amuleto de Ogum’ e ‘Memórias do Cárcere’, ambos de Nelson Pereira dos Santos e ‘Pixote – A Lei do Mais Fraco’ e ‘Lúcio Flávio – Passageiro da Agonia’, os dois de Hector Babenco, além de ‘A Hora da Estrela’, de Suzana Amaral, entre outros.
Além da premiação, a abertura do festival terá a exibição de “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho”, premiado longa do diretor Daniel Ribeiro. O filme, que será lançado em abril nos cinemas, terá sua primeira exibição em São Paulo na abertura do 40 º Festival SESC Melhores Filmes.
Ao longo do 40º Festival SESC Melhores filmes serão exibidos 54 filmes, 28 estrangeiros e 26 brasileiros. Na cerimônia de entrega dos prêmios estarão presentes ao evento atores, atrizes, diretores, fotógrafos e produtores concorrentes aos prêmios desse ano, além de convidados especiais e homenageados.
O 40º Festival SESC Melhores Filmes acontece, também, em mais treze cidades no Estado de São Paulo. A itinerância do Festival acontece simultaneamente com o evento principal na capital.
A votação para se apurar os vencedores do Festival SESC Melhores Filmes foi feita via Internet. No CineSESC, os frequentadores votaram também por cédula. Uma consulta direta foi realizada à crítica especializada de todo o país. A lista completa de filmes participantes está em www.sescsp.org.br/melhoresfilmes. Os mais votados por crítica e público serão exibidos no CineSesc até dia 30 de abril.
Audiodescrição e Legendagem Open Caption
Todas as sessões do Festival no CineSESC terão audiodescrição e legendas open caption. Ambos os recursos incluem deficientes visuais e auditivos na fascinante experiência do cinema. A audiodescrição consiste na descrição de todas as informações que compreendemos visualmente e que não estão contidas nos diálogos, como as expressões faciais e corporais, informações sobre o ambiente, figurinos, efeitos especiais, mudanças de tempo e espaço, além da leitura de créditos, títulos e qualquer informação escrita na tela. Ela é feita ao vivo por atores e acontece nos espaços entre os diálogos e nas pausas sonoras do filme. Somente os espectadores que recebem fone s especiais escutam a audiodescrição, geralmente deficientes visuais ou com visão diminuída. Já a legenda open caption é vista por todos os espectadores, consiste numa legenda a mais no filme, descrevendo os sons além dos diálogos. Os deficientes auditivos se utilizam deste recurso.
O Circuito
A circulação do Festival SESC Melhores Filmes teve início em 2009, quando parte de sua programação foi estendida para cinco cidades do Estado de São Paulo, após o encerramento na capital. Em 2014, a itinerância se amplia para 13 cidades, além de São Paulo, que são: Araraquara, Bauru, Bertioga, Birigui, Catanduva, Presidente Prudente, Piracicaba, Ribeirão Preto, Rio Preto, São Caetano, São Carlos, Sorocaba e Taubaté. Nestas cidades as exibições ocorrem simultaneamente com as da capital. Mais informações sobre o Circuito em www.sescsp.org.br
Filmes do Festival
Entre os principais filmes que serão exibidos durante o Festival estão: O Som ao Redor, Azul É a Cor Mais Quente, Tatuagem, Tabu, A Bela que Dorme, Era Uma Vez em Anatólia, Educação Sentimental, Doméstica, Blue Jasmine, Um Estranho no Lago, Um Toque de Pecado, O Estranho Caso de Angélica, Amor, Django Livre, La Jaula de Oro, Caverna dos Sonhos Esquecidos 3D, Mataram meu Irmão, entre outros.
Sessão Cineclubinho
Ao longo do Festival SESC Melhores Filmes, a Sessão Cineclubinho acontecerá todos os domingos, às 11h, com a exibição de filmes para o público infantil que também foram escolhidos por público e crítica como os melhores de 2013. Todas as sessões do CineClubinho são grátis e contarão com audiodescrição e legendagem open caption.
Debates
Outro destaque da edição do festival desse ano será a realização de debates entre convidados especiais que abordarão diferentes temas ligados ao cinema. Serão dois seminários da crítica, além três edições especiais do Cinema da Vela.
Edições especiais do Cinema da Vela durante o festival:
Cinema da Vela são conversas sobre os rumos do cinema nacional. Com livre inspiração nas noites do samba paulista, o bate-papo tem a duração do tempo de queima de uma vela. Livre. A entrada é grátis.
Blogueiros de Cinema. Com Chico Firemann e Miguel Barbieri Jr. Mediação: Suyenne Correa. 7/4. Segunda, às 19h30.
•A Memória do Cinema. Com Hernani Heffner e Fernanda Coelho. Mediação: Marta Colabone. 17/4. Quarta, às 19h30.
Seminários da crítica
Seminário 1: Balanço do ano de 2013. Lançamentos programados: tempo de exibição no cinema, televisões pagas, previews, homevideo, pirataria e acesso e compartilhamento de filmes. Convidados: André Miranda, Heitor Augusto, João Sampaio, Nina Rahe e Yuno Silva. 3/4. Quinta, às 19h30.
•Seminário 2: Quatro décadas de cinema. Transformações do mercado exibidor e distribuidor, migração das salas de rua para shoppings e grandes complexos, o panorama da intervenção estatal no cinema, as mudanças no panorama de distribuição dos filmes. Convidados: Francisco Alambert Junior, Máximo Barro, Ricardo Calil. 4/4. Sexta, às 19h30.
Exposição
O CineSesc apresenta no hall uma exposição de fotografias contemporâneas de atrizes e atores brasileiros que atuaram em filmes premiados na categoria “Melhor Filme Nacional” do Festival Sesc Melhores Filmes. Uma homenagem a alguns dos grandes astros do cinema nacional que brilharam na tela ao longo dos últimos 40 anos. Talentos que encantaram e encantam gerações, presentes no imaginário dos espectadores, representantes da sétima arte brasileira e inesquecíveis intérpretes. Entre eles: Antônio Abujamra, Betty Faria, Caio Blat, Carlos Vereza, Gero Camilo, Helena Ignez, Hugo Carvana, João Miguel, Laura Cardoso, Maitê Proença, Matheus Nachtergaele, Othon Bastos, Paulo José, Ruth de Souza, Sandra Corveloni e Zezé Motta. Livre. Grátis. Todos os dias a partir de 3/4, das 14h às 21h30.
Troféu
A 40ª edição do Festival Sesc Melhores Filmes tem como um de seus destaques, o troféu. Assinado pelo artista plástico Emanoel Araújo. O prêmio é confeccionado em aço inox polido e contará com uma pedra semipreciosa. A obra de Emanoel Araújo será entregue no próximo dia 2 de abril, na cerimônia de abertura do 40º Festival Sesc dos Melhores Filmes, no CineSesc.
O Festival SESC Melhores Filmes
Criado em 1974, é o primeiro festival de cinema da cidade de São Paulo e oferece ao público a oportunidade de ver ou rever o que passou de mais significativo pelas telas da cidade no ano anterior, que são escolhidos democraticamente por meio de votação de público e crítica.
Os filmes que participam da votação em 2013 são aqueles lançados nas salas de cinema de São Paulo durante o ano de 2012.
Em 38 anos de realização, o Festival SESC Melhores Filmes já exibiu centenas de longas-metragens brasileiros e estrangeiros. Na edição 2010, o festival inovou ao ser o primeiro evento do gênero a disponibilizar sua programação com serviços de audiodescrição, que possibilitam o acesso aos deficientes visuais, e auditivos, com legendagem open caption, recursos que serão oferecidos em todos os filmes da grade deste ano no CineSESC.
Sobre o filme de abertura:
Hoje Eu Quero Voltar Sozinho - poster do filme
Hoje Eu Quero Voltar Sozinho
Brasil, 2014. 96 min.
Direção: Daniel Ribeiro
Elenco: Ghilherme Lobo, Fabio Audi, Tess Amorim, Lúcia Romano, Eucir de Souza, Selma Egrei, Isabela Guasco, Victor Filgueiras, Pedro Carvalho, Guga Auricchio.
SINOPSE: O filme traz a história de Leonardo, um adolescente cego que, como qualquer garoto dessa idade, está em busca de seu lugar. Desejando ser mais independente, precisa lidar com suas limitações e a superproteção de sua mãe. Para decepção de sua inseparável melhor amiga, Giovana, ele planeja libertar-se de seu cotidiano fazendo uma viagem de intercâmbio. Porém a chegada de Gabriel, um novo aluno na escola, desperta sentimentos até então desconhecidos em Leonardo, fazendo-o redescobrir sua maneira de ver o mundo.
O longa nasceu do curta de nome parecido: Eu não quero voltar sozinho (2010). Nesse filme, o diretor já explorava o universo adolescente, a ebulição de novas emoções, a descoberta do corpo e da sexualidade. E apresentava Leonardo, o protagonista, Giovana e Gabriel. O curta, disponível na íntegra na internet, teve cerca de três milhões de visualizações.
Hoje eu quero voltar sozinho ganhou os seguintes prêmios no Festival de Berlim de 2014: Melhor filme – FIPRESCI (Prêmio da Federação Internacional dos Críticos de Cinema); Melhor filme – Teddy Award, destinado a longas com temática homossexual; Mostra Panorama – 2º lugar na premiação do público.
Ficha Técnica:
‘Hoje Eu Quero Voltar Sozinho’
Roteiro e Direção: Daniel Ribeiro
Produção: Daniel Ribeiro e Diana Almeida
Produção Executiva: Diana Almeida
Fotografia: Pierre de Kerchove
Direção de Arte: Olivia Helena Sanches
Montagem: Cristian Chinen
Produção: Lacuna Filmes
SERVIÇO
Festival SESC Melhores Filmes 2013
Exibição dos filmes vencedores pela votação de crítica e público
De 2 a 30 de abril de 2014
CineSesc
Rua Augusta, 2075
Tel: 11 3087-0500
Ingressos: R$15,00 (inteira); R$7,50 (meia), R$3,00 (comerciários e portadores da carteirinha do SESC). Passaporte para 15 filmes (venda exclusiva no CineSesc. Não é válido para o CineClubinho): R$150,00 (inteira), R$75,00 (meia), R$30,00 (comerciários e portadores da carteirinha do SESC). Cineclubinho: grátis (retirada de ingressos uma hora antes da sessão)
Informações para o público: 3236-7400.
Fonte: CineSesc

segunda-feira, 17 de março de 2014

GUIA DE CINEMA E VÍDEO ACESSIBILIDADE PARA CEGOS E SURDOS

http://www.filmesquevoam.com.br/canais.php?mod=pagina&id=65

LANÇAMENTO DO LIVRO DESCULPE, NÃO OUVI DA LAK LOBATO



ENCERRADA A COMPRA ANTECIPADA PELO SITE CATARSE AGORA VOCÊ PODE COMPRAR DIRETAMENTE DA EDITORA

http://loja.atitudeterra.com.br/pd-D3135.html

A tarde/noite de autógrafos estava linda, cheia de gente, uma alegria contagiante.
MINHA MÁQUINA FOTOGRÁFICA EMPERROU E EU DESCARADAMENTE ESTOU ROUBANDO FOTOS DA PÁGINA DA LAK PORQUE UMA FESTA TÃO LINDA TEM QUE SER MOSTRADA...


Ontem perdi o sono, não conseguia parar de ler...capítulos curtos e essenciais. Eu que perdi a audição aos 20 anos não sei se seria tão lutadora como a Lak, que ficou surda aos 9 anos...hoje em dia ao ter tantos amigos e amigas surdos desde o nascimento ou desde a infância percebo que meu caminho foi como o daquela cartilha famosa: Caminho Suave...Já tinha emprego ótimo, tinha passado em dois vestibulares e tinha auto confiança por ser quase adulta. São muitos os caminhos e cada vez que vejo uma pessoa surda tão bem integrada à sociedade mais cresce a vontade de divulgar aparelhos auditivos, implantes cocleares, fonoterapia, filmes legendados e tudo que possa nos ajudar a viver bem, a ter qualidade de vida. Com especial carinho pelos bebês implantados, não dá para não comemorar cada cirurgia de implante...


Eu muito emocionada recebendo o autógrafo e dedicatória da Lak.










VEJA O ÁLBUM DE FOTOS