domingo, 1 de maio de 2011

Aparelho auditivo pelo SUS

Saúde da Pessoa com Deficiência Reabilitação Auditiva

Serviços existentes no SUS que realizam triagem, monitoramento e reabilitação da audição em recém-nascidos, pré-escolares e escolares, além do diagnóstico, acompanhamento e terapia fonoaudiológica em neonatos e crianças, jovens e adultos, trabalhadores e idosos, indicando a reabilitação adequada para cada um desses segmentos. Podem ser de média ou alta complexidade, fornecendo o aparelho de amplificação sonora individual - AASI necessário, e têm como objetivo auxiliar a pessoa com deficiência auditiva na aquisição de autonomia, independência e melhoria das condições gerais de vida.

disque saúde 0800 61 1997

Ministério da Saúde

Esplanada dos Ministérios - Bloco G - Brasilia / DF

CEP: 70058-900

Página do SUS - endereços:
http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/servicos_auditiva.pdf

Hospital de Clínicas São Paulo SP
Otorrinolaringologia
http://www.otorrinousp.org.br/enderecos.asp

.....................................................................................................................................................................
Concessão de aparelhos auditivos: política ampliada
Desde setembro de 2004, a Portaria GM 2.073, do Ministério da Saúde, instituiu a Política Nacional de Atenção à Saúde Auditiva, para atendimento integral de pessoas com deficiência auditiva, oferecendo ações de promoção da saúde, prevenção e identificação precoce de problemas auditivos, de média e alta complexidade, além de diagnóstico, tratamento clínico e reabilitação com o fornecimento de aparelhos de amplificação sonora e terapia fonoaudiológica, pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Antes, as pessoas com deficiência auditiva já recebiam gratuitamente do Sistema Único de Saúde (SUS) os aparelhos auditivos. Com a Política Nacional, no entanto, foram englobadas diferentes ações, como acompanhamento dos pacientes em reabilitação auditiva pelo uso de prótese, não restringindo o atendimento somente ao fornecimento gratuito do aparelho.

Duas portarias ligadas à Secretaria de Atenção à Saúde (SAS) do Ministério normatizam a nova política: as de nº 587, de 07 de outubro de 2004, e 589, de 8 de outubro de 2004. Elas apresentam proposta para organização das redes estaduais de serviços de atenção à saúde auditiva, com a descentralização do atendimento e a presença de serviços em todo o Brasil.

Segundo o médico foniatra e diretor geral da Derdic, Alfredo Tabith Junior, O sistema está bem organizado e permite a concessão do aparelho que o paciente realmente necessita, de acordo com as características de sua perda auditiva, sem as antigas licitações que traziam muitos problemas ao usuário. A Derdic é a Divisão de Educação e Reabilitação dos Distúrbios da Comunicação, ligada à Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC-SP.

"Como a portaria é bastante recente, ainda não pudemos avaliar as modificações que serão necessárias, o que poderemos fazer após algum tempo de prática", observa. Segundo o médico, são oferecidos três grupos de aparelhos que cobrem a maior parte das necessidades de usuários, atendendo, portanto, a demanda dos pacientes. São eles: o micro-canal, o menor modelo e é colocado no canal do ouvido; o modelo intra-canal, mais discreto, também dentro do ouvido; e o modelo retro-auricular, posicionado atrás da orelha.

Tabith Junior lembra que, por ser uma política de âmbito nacional, todo brasileiro tem direito ao aparelho, bastando para isto acessar instituições credenciadas pelo SUS. "Há alguma espera, porque a indicação do aparelho adequado a cada paciente toma algum tempo e precisa ser realizada em várias sessões. Além disso há uma demanda muito grande", destaca, lembrando que são aproximadamente 150.000 pessoas com perdas auditivas somente na cidade de São Paulo.
Ele afirma, ainda, que o programa prevê um acompanhamento de todos os pacientes, bem como a reposição do aparelho em caso de roubo ou falha técnica e em casos de perda auditiva progressiva. Também prevê atendimento fonoaudiológico.

Origem da prótese auditiva

A invenção do telefone, por Graham Bell, em 1876, possibilitou a construção do primeiro aparelho auditivo elétrico(1900), através da adaptação de sua tecnologia. A evolução do desenvolvimento dos aparelhos auditivos, desde então vem ocorrendo de forma bastante veloz.

A seleção do aparelho auditivo requer uma equipe multidisciplinar, contando com otorrinolaringologista, fonoaudiólogo, pediatra ou geriatra, etc. Cabe ao otorrino garantir o diagnóstico apropriado, indicando o grau e a natureza da perda auditiva, e a necessidade do uso da prótese auditiva.

O aparelho auditivo eletrônico é um mini-amplificador que tem como função conduzir o som à orelha do indivíduo, coletando e transmitindo a onda sonora, adicionando energia necessária, e evitando a dispersão do som, com a menor distorção possível. Seu objetivo é aproveitar a audição residual de modo efetivo, através da amplificação

Funciona assim: as ondas sonoras são captadas por um microfone e transformadas em sinal elétrico. Esses sinais atingem um amplificador composto por vários transistores e outros componentes eletrônicos que trabalham em conjunto. É válido ressaltar que a escolha do aparelho auditivo depende do tipo e da configuração da perda auditiva, a qual deve ser balizada por profissional competente.

Para pleno e adequado uso do aparelho auditivo, o usuário deve observar o seguinte:

- Avaliação audiológica por profissional.

- Conhecer e avaliar a variedade dos modelos disponíveis.

- Conhecer os aspectos peculiares de sua deficiência auditiva, do aparelho e seu uso.

- Contar com acompanhamento profissional durante o período de adaptação.

- Desligá-lo quando não estiver sendo usado, devendo ser removida sua pilha.

- O aparelho auditivo não pode ser exposto a temperaturas altas ou a umidade.

- Deve sempre ser removido antes do banho.

- Deve ser retirado antes do uso de secador ou spray de cabelos.

- Deve ser removido para exames de raio-X ou similar com radiação.
Serviço

Derdic (PUC-SP) - (11) 5549-9488

http://www.derdic.pucsp.br/

Fonte: Jornal da AME edição nº 49


http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/portaria_587_anexo4.pdf

leia também
http://www12.unopar.br/unopar/comtexto/ctwebmanchete.action?x=3685

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Em São Paulo - SP
http://suacidade.org/sao-paulo/prefeitura-oferece-tratamento-e-aparelhos-de-surdez-a-usuarios-do-sus#.TnDXs1n9vuQ.twitter

A Secretaria da Saúde oferece, gratuitamente, aparelhos auditivos aos pacientes assistidos pela rede de saúde municipal. Em 2010, foram realizadas 9.629 avaliações e fornecidos 12.979 aparelhos auditivos na Cidade. De janeiro a junho de 2011, o número de avaliações chegou a 5.212, com 8.651 aparelhos distribuídos.

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS), comprometida com o atendimento integral da saúde do paulistano, oferece, gratuitamente, aparelhos auditivos aos pacientes assistidos pela rede de saúde municipal. Em 2010, foram realizadas 9.629 avaliações e fornecidos 12.979 aparelhos auditivos na Cidade. De janeiro a junho de 2011, o número de avaliações chegou a 5.212, com 8.651 aparelhos distribuídos pelos oito serviços da Cidade.
Qualquer pessoa com suspeita de perda auditiva deve comparecer à Unidade Básica de Saúde (UBS) mais perto de onde mora ou trabalha.  O paciente será encaminhado a uma das 16 unidades do Núcleo Integrado de Saúde Auditiva (Nisa) e passará por avaliação pelo otorrinolaringologista. “Constatada a necessidade de aparelho auditivo, o Nisa realiza o agendamento no serviço de referência, acompanha todo o processo até o retorno, quando irá avaliar os benefícios e a satisfação das pessoas quanto ao uso do aparelho fornecido pelo SUS, intervindo com ações complementares para alcançar este objetivo”, afirma a fonoaudióloga e coordenadora da Saúde da Pessoa com Deficiência da Secretaria Municipal da Saúde, Sandra Maria Vieira Tristão de Almeida.
A ação é desenvolvida exclusivamente por serviços especializados, composto por equipes, estrutura física e funcionamento com características definidas pela legislação. Esses serviços são divididos entre média e alta complexidade. O primeiro atende pacientes maiores de três anos com problemas auditivos. Os de alta complexidade atendem pessoas com qualquer característica, inclusive crianças menores de três anos e as que possuem outros problemas associados. Os serviços de média complexidade possuem otorrinolaringologista, psicólogo, fonoaudiólogo e assistente social. Os de alta têm a mesma constituição de equipe e também um pediatra, um neurologista e/ou neuropediatra.
A rede de atenção à saúde auditiva é composta por oito serviços na cidade de São Paulo. Dois são próprios do Município. Os Ambulatórios de Especialidades de Pirituba e da Penha possuem duas unidades (uma em cada um) do Nisa. Outras três unidades estão sob gestão municipal (Derdic, Cema e Santa Casa de Santo Amaro). O Hospital das Clínicas, a Unifesp e a Santa Casa de São Paulo encontram-se sob a responsabilidade do Estado.
Os serviços realizam diagnóstico, seleção, fornecem o aparelho (de acordo com a necessidade do paciente), acompanham seu uso e oferecem a terapia fonoaudiológica. A proposta é que o paciente retorne ao serviço pelo menos uma vez ao ano para verificar o funcionamento do aparelho e fazer nova avaliação audiológica.
O fornecimento de aparelhos auditivos pelo SUS está organizado segundo as diretrizes estabelecidas pela Política Nacional de Saúde Auditiva e legislação complementar, que definiu ações e serviços para atenção à saúde auditiva dos brasileiros, em diferentes níveis de complexidade.
Ação já é integrada ao Programa Mãe Paulistana
Desde agosto de 2010, os bebês que nascem nas maternidades integradas ao Programa Mãe Paulistana passam por triagem auditiva. É o teste da orelhinha. São cerca de 4 mil nascidos triados por mês. O objetivo é detectar precocemente possíveis deficiências auditivas.
Quatro empresas contratadas realizam a triagem. Os bebês passam pelo teste e as mães são orientadas sobre o desenvolvimento da audição e como prevenir doenças que causam problemas auditivos. Se o teste apresentar alguma alteração, o bebê realizará novo teste. Se a falha auditiva persistir, a criança será agendada em um dos serviços de alta complexidade para realizar o diagnóstico e o tratamento.
Segundo a fonoaudióloga Sandra Maria Vieira, passar no teste significa que o bebê nasceu ouvindo bem. Alguns fatores, porém, podem prejudicar a audição pós-nascimento. “Falhar na triagem não significa que a criança seja surda, mas que há necessidade de uma investigação especializada. Além da surdez, existem outros problemas que afetam a audição e são importantes de serem identificados e tratados precocemente, para melhor desenvolvimento da criança”, orienta.
Até maio deste ano, foram feitas 33 mil triagens, com 90 encaminhamentos para diagnóstico.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------

Núcleo Integrado de Saúde Auditiva – NISA

Saúde
O PROGRAMA
Os Núcleos Integrados de Reabilitação e Saúde Auditiva – NISA fazem parte da Rede Municipal de Saúde Auditiva, da Secretaria Municipal de Saúde.
Contando com profissionais capacitados, as unidades oferecem assistência integral e descentralizada, nos diversos níveis de complexidade.
Contemplam desde ações primárias de prevenção, promoção e inclusão na comunidade até a organização do acesso a procedimentos e materiais especializados, como órteses, próteses e materiais auxiliares.
Funcionam em Unidades Básicas de Saúde – UBS ou Ambulatórios de Especialidade – AE. A UBS mais próxima da residência do cidadão realiza o encaminhamento para os NISAs de referência de cada região de saúde. São cerca de 11 NISAs espalhados por toda cidade, divididos em dois tipos:
NISA I – Diagnóstico Audiológico e reabilitação auditiva.
NISA II - Diagnóstico Audiológico, indicação, concessão e adaptação de aparelho auditivo e reabilitação auditiva.

SERVIÇO
Núcleos Integrados de Reabilitação e Saúde Auditiva – NISA
Público Atendido: Pessoas com deficiência auditiva.
Confira os endereços das unidades dos NISA no Guia de Encaminhamentos.
Mais informações no site da Secretaria Municipal da Saúde.
 

36 comentários:

Anônimo disse...

Interessantíssimo artigo sobre necessidades auditivas! Parabéns!

soramires disse...

Agradecemos sua companhia neste blog.

drica disse...

oi adorei o blog de vcis mas gostaria de saber aonde tenho que ir pois moro na cidade de sumaré sp e preciso de orientaçãode onde procurar pois tenho uma surdez de leve a profunda em ambas as orelhas e nao tenho como comprar um aparelho gostaria de saber onde procurar apoio grata .dricacristinasilva@hotmail.com

soramires disse...

Drica, colocamos acima vários links onde você poderá achar o lugar mais perto para atendimento do SUS, veja na página do SUS ou pergunte em hospital público de sua cidade, na prefeitura, etc, porque há vários convênios do SUS.

Cristina Ferber disse...

Drica, boa noite, para adquirir aparelhos auditivos pelo SUS você deve, em primeiro lugar fazer o cartão nacional do SUS no posto de saúde mais próximo de sua casa. Marque então uma consulta com o otorrino e ele mandará vc fazer audiometria. Caso vc já possua a audiometria, então peça ao seu otorrino que lhe faça um laudo médico dizendo que indica aparelhos auditivos para você. Depois procure a ouvidoria do SUS mais próxima e leve a cópia do laudo e da audiometria e faça o pedido dos aparelhos auditivos. Não aceite fazer o pedido pelo telefone. Faça pessoalmente. Pergunte qdo vc será chamada (no meu caso foram 6 meses)para fazer o molde do aparelho. Depois foram dois meses para entrega dos mesmos. Boa sorte pra vc! Cristina Ferber

Unknown disse...

a minha neta gabriela desousa monteiro pecisa usar os dois aparelho auditivo mas não temos condisoes de compra e com urgencia ela tem 13anos estuda na escola jardimguararapes fica no bairro de inhoaiba campo grande conto com ajuda do pufavor eu creio que deus ja nos ajudou que ela vai consequir esti aparelho moro rua seriema n 7 en inhaiba me liga o meu telef 33643070-86061227 sou a vó ronilda mello monteiro obrigado aquardo a resp mas rapido pocivel.

Unknown disse...

ela se trata no hospital do Fundão ela ja ten o cartão do sus obrigado agardo

Cristina Ferber disse...

Prezada Senhora avó da Gabriela,

sobre a aquisição dos aparelhos auditivos pelo SUS, já disponibilizamos informação neste Blog no comentário acima. O primeiro passo é marcar a consulta com o Otorrino, pelo SUS e seguir conforme as orientações já prestadas. Este Blog é apenas informativo, não fazemos encaminhamentos. Desejamos que consiga os aparelhos para a sua neta o mais breve possível. Abraços.

Anônimo disse...

como posso consegui aparelhos auditivo pois necsito usar pois tenho que usar estou perdendo a audicao ja fiz os exame mais nao fiz pelo sus

Cristina ferber vieira lessa disse...

Prezado leitor, leia o meu comentário acima, e verá como conseguir o aparelho auditivo pelo SUS. Também sou colaboradora do Blog e uso aparelhos auditivos. Um abraço.

miriam disse...

Já fiz todo o procedimento acima para obtenção do aparelho e no dia 17/03/2012 tive consulta com o otorrino no NISA. Ele constatou a necessidade do aparelho e me encaminhou para a fonoaudiologista. Pediram então dois telefones meus para contato e disseram para esperar o agendamento para a fono. Será que vão mesmo me ligar para agendar? Fiquei na dúvida, apesar de até agora ter sido muitissimo bem atendida pelo SUS da prefeitura de SP.

Cristina ferber vieira lessa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cristina ferber vieira lessa disse...

Miriam, no meu caso não fiquei aguardando o telefonema não. Fiz o seguinte: fui até o local onde fiz a inscrição (anteriormente havia feito pelo telefone não deu certo) e pedi o número da minha inscrição. Quis saber quantas pessoas estavam na minha frente e quantas normalmente eram atendidas no decorrer do ano. É direito do cidadão ter essas informações. Bem, eles então me forneceram o telefone da fonoaudióloga e ela me recebeu no dia seguinte. A fono fez então uma entrevista comigo, perguntou pelo cartão do SUS e lá mesmo agendaram a data para o comparecimento à clínica mais próxima de minha casa, que atende pelo SUS. Na clínica, eles receberam minha audiometria e o encaminhamento da fono e agendaram para que eu participasse de três procedimentos: esclarecimentos sobre o uso do aparelho auditivo, nova audiometria e confecção do molde para fazer o mesmo. Só após a audiometria feita com eles, é que fica decidido o tipo e as especificações do aparelho. Como a minha surdez é bilateral, ganhei dois aparelhos auditivos da marca GN ReSound, novos e com uma cartela de bateria. Foram ao todo 6 meses, do pedido ao recebimento. Espero ter ajudado. Abraços. Cristina

Anônimo disse...

minha mãe tem deficiencia auditiva, decorrente da idade, nos não podemos comprar o aparelho, sei que tem lugares em que fornece este aparelho, gostaria de saber como poderei adquirir,quais documentação apresentar,e onde poderei ir?
obrigado

soramires disse...

O atendimento pelo SUS se faz a partir de postos de saúde, que fazem encaminhamento para exames e indicam toda documentação necessária. Procure informar-se na prefeitura de sua cidade. Em São Paulo por exemplo, há convênio Estado/Prefeitura/Sus e é preciso apresentar RG, cartão do Sus e conta de luz, telefone, etc como prova de endereço.Na consulta com um otorrino do sistema ele pedirá exames de audiometria, etc. As informações mais precisas serão dadas no posto de atendimento de sua cidade ou do seu bairro.

Janis disse...

Olá! Adorei este cantinho e já add para acompanhar as novidades! Parabéns e obrigada por postar informações tão importantes!

katia oliveira disse...

MINHA MÃE TEM 83 ANOS E ELA ESTA NECESSITANDO DE APARELO AUDITIVO NOS DOIS OUVIDOS, FOI CONSTATADO PELO OTORRINO QUE ESTA COM SURDEZ. ELA NÃO TEM CONDIÇÕES DE COMPRA O APARELHO.
SOU FILHA DELA TB NÃO TENHO CONDIÇOES E ESTOU VERIFICANDO JUNTO A INTERNET COMO FAÇO PARA ELA ADQUIRIR GRATUITAMENTE. GOSTARIA DE RECEBER ALGUMA ORIENTAÇÃO COMO FAZER, PQ NÃO SEI COMO COMEÇAR ME AJUDA!!!!! MEU EMAIL katia-deoliveira@live.com

soramires disse...

amires5 de julho de 2012 14:32
O atendimento pelo SUS se faz a partir de postos de saúde, que fazem encaminhamento para exames e indicam toda documentação necessária. Procure informar-se na prefeitura de sua cidade. Em São Paulo por exemplo, há convênio Estado/Prefeitura/Sus e é preciso apresentar RG, cartão do Sus e conta de luz, telefone, etc como prova de endereço.Na consulta com um otorrino do sistema ele pedirá exames de audiometria, etc. As informações mais precisas serão dadas no posto de atendimento de sua cidade ou do seu bairro.

Nivaldo Gomiero disse...

Minha mãe depedende deste aparelho, já foi socicitado mas ja se fazem 90 dias a espera, existe alguma forma de monitorar a chegada do mesmo ?

Nivaldo Gomiero disse...

Katia ela precisa fazer uma avaliação médica pelo SUS onde eles farão a solicitação

Edna Marcatti marques disse...

Sous Assistente Social no municipio de Itapira e trabalho com Programa de Orteses e Próteses. Porém, existe uma solicitação para uma criança de 09 anos do equipamento de Sistema de FM. Alguém sabe se esse equipamento é disponibilizado pelo SUS? ou algum outro orgão da Educação que possa conceder esse aparelho?
Obrigado,
Edna Marques

soramires disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
soramires disse...

Edna, eis uma das respostas, conseguida pelo nosso colega de blog Drauzio

Respondendo a sua pergunta, o SUS tem um programa de saúde auditiva q fornece proteses auditivas através de hospitais ou instituições credenciadas.

O sistema FM não é fornecido por este programa, ou seja, a portaria não tem esse produto disponivel.

O q ela pode fazer é encaminhar para o município (prefeitura) para compra ou ir direto a defensoria pública.

Aqui em Taubaté, como exemplo, os pacientes estão ganhando esse produto através de ação judicial, pois a Prefeitura tb negou a compra.

Não sei ao certo se Itapira tem alguma loja da Phonak, mas pede para ela entrar no site da phonakbrasil.com.br e lá achar uma loja mais próxima e através da fono da loja ela ja sabe como orienta-la e até oferecer alguma carta ou mesmo encaminhamento para a Defensoria.

Se ela quiser, pode passar meu contato q a oriento melhor em caso de dúvidas.



Abraços

soramires disse...

Edna, pelo jeito só se consegue via judicial escreva para nossa amiga Geraldine para maiores esclarecimentos e dicas:
geraldine@mp.rs.gov.br
Boa sorte para essa criança que precisa do FM. Abraços!

alcides da silva sousa disse...

estou na fila para receber aparelho auditivo CPf 952.919.708-04
cartão nacional n♂.104232606580009
resposta( ecoflora_abc@hotmail.com
fone 41/36641075 alcides da silva sousa




soramires disse...

Alcides, apenas o setor onde você fez a solicitação dos aparelhos auditivos pode te responder sobre o processo. Nós do blog não temos nenhuma influência ou conhecimento do andamento dos pedidos.

Anônimo disse...

Ola! Meu nome é Tânia e moro no município de Guapimirim no Estado do Rio de Janeiro. Hoje dia 15/04/2013, estive na Secretaria de Saúde do meu município, e me disseram que o procedimento para obtenção do aparelho auditivo funciona da seguinte forma: Em 30/04/2013, sai uma van particular, do centro de Guapimirim para um Centro Auditivo em Itaperuna (que fica a 243km de distancia), e que seriam 03 comparecimentos a esse Centro Auditivo de Itaperuna, que levariam 09 meses para concluir esse processo para então, eu ser incluída em um novo grupo que seria beneficiado em janeiro de 2014. Mais que o transporte particular e 03 refeições de todos esses comparecimentos seriam pagos pelo erário. Se o Centro Auditivo fosse em Niterói a 70,5 km de distancia ou no Centro do Rio de Janeiro a 73,1km eu iria com meus próprios recursos e não levaria tanto tempo para ser atendida.

soramires disse...

Tânia, o processo é demorado também em São Paulo, capital, onde estou em processo de receber os meus aparelhos auditivos. No meu caso está demorando mais de 6 meses e isso que os locais são próximos da minha casa. O que você relata que ocorre em sua cidade é um procedimento feito pela Secretaria da Saúde do município. Depende dos convênios firmados pelo Sus e prefeituras e das prefeituras com empresas de aparelhos auditivos. Não dá para entender porque levam vocês a 234 km de distância quando Niterói ou RJ estão mais perto. Se é essa é a única forma de atendimento em sua cidade convém se inscrever. Mas se você conseguir se informar por telefone ou e-mail como é a inscrição no Rio ou Niterói talvez consiga se inscrever por lá. Vou colocar essa questão num grupo e vamos ver se alguém indica solução mais rápida e fácil.

Anônimo disse...

Olá gostaria de saber se alguém aqui no blog pode me informar quais são os hospitais ou clínicas em Brasília ou cidade do entorno onde posso encontrar o serviço de protetização para idosos (com presbiacusia) diminuição da audição pela idade. Será que o sus atende também esta população? onde eu poderia procurar aqui em Brasília? agradeço a ajuda desde já.

soramires disse...

Hospital Universitário de Brasília e
Centro Educacional de Audição e Linguagem CEAL LP
primeiro é preciso ter o cartão SUS feito em postos de Saúde Não temos os endereços, pergunto nos postos de Saúde - Sim o SUS atende a população idosa que perdeu audição.

Elizabete Mais disse...

bastante informacao sobre os beneficios dos aparelhos auditivos parabens. vim de um site meio desorganizado ( http://aparelhosauditivos.br.com/ ) e nao tinha tirado minha duvida. parabens a voces. obrigada

soramires disse...

Elizabeth seu comentário me enche de alegria; o trabalho deste blog é voluntário e com o objetivo de ajudar. Abraços.

Anônimo disse...

sou deficiente auditiva sofro por não ouvir. ouço pouco, sou discriminada, sou maltratada, aqui em Brasília os aparelhos custa em torno de 7 a 8 mil reais, já fiz varios exames preciso de 2 aparelhos. esse blog não parece real a postagem que diz que o sus disponibiliza aparelhos gratuitos.
já corri atrás dos sus. os postos de saúde dizem que não faz o encaminhamento, passo 5horas numa fila de madrugada para pegar uma fixa, quando consegue ouço isso dos medicos....

os hospitais diz.....vai procurar os cras.....(CRAS nem atende ligação nenhuma nem atendimento.......) perda de tempo.
hj vi a postagem do SULP eles me trataram foi mal.......disse que nem tem conhecimento de aparelhos doados pelo sus..... a pessoa sem condições financeira para pegar um produto no valor de 7 a 8 mil tem que se virar...se quizer ouvir melhor, fico muito chateada por vê na internet tantos blog, tantas propaganda
que os sus tem aparelho auditivo para deficiente..... (se alguém souber de alguma coisa a respeito desse assunto fico muito grata..pela ajuda)
e-mail bellahair26@gmail.com





Letícia da Silva Lima disse...

gostaria de saber se o sus fornece aparelhos internos ou mais discretos? alguém sabe? Leticia Lima.

soramires disse...

Letícia querida...o SUS OFERECE O APARELHO AUDITIVO QUE MAIS SE ADAPTE às necessidades da pessoa surda. NEM TODO MUNDO PODE USAR APARELHO AUDITIVO PEQUENO E DISCRETO, depende do grau de surdez. Eu por oexemplo não posso usar aparelho pequeno porque sou MUITO SURDA...

Anônimo disse...

Eu e meu esposo ,passamos com um otorrinolaringologista hoje, pelo convênio da Empresa na qual ele trabalha. Temos perda auditiva em um dos ouvidos. Temos aquele zumbido que incomoda muito! O médico solicitou um aparelho que custa por volta de R$4.000,00. Não temos condição de comprar. Vamos então tentar pela UBS pelo SUS. Quem sabe? Grata pelas informações!

Postar um comentário

DEIXE AQUI O SEU COMENTÁRIO